"FACHO DE LUZ", DE MÁRCIO PROENÇA
 
 
Baixe a agenda do mês

Em 2004 o cantor e compositor Márcio Proença gravou, pelo selo Niterói Discos, o CD "Facho de Luz", produzido por João Carlos Carino. O disco contou com arranjos de Cristóvão Bastos e as participações de Leila Pinheiro, Simone Guimarães, Paulo César Pinheiro, Guinga, Ivor Lancellotti e Beth Carvalho, além de José Luiz Lopes, seu parceiro em todas as composições.

Proença foi ainda acompanhado no estúdio por Nicolas Krassik (violino), Jorge Helder (baixo), Marcelo Bernardes (flauta), Don Chacal (percussão), João Lyra (violão), Maurício Carrilho (violão), Marquinhos Roberto (violão), Fábio Presgrave (cello), Leandro Almeida (trumpete), Ovídio Brito (percussão) e Alessandro Cardozo (cavaquinho).

Em 2005, a canção "Que Bom Seria", gravada por Leila Pinheiro, foi classificada para a semifinal do Festival Cultura – A Nova Música do Brasil.





Márcio Proença

Vicente Márcio Proença Pereira nasceu em Niterói no ano de 1942. Concluiu curso técnico de contabilidade no Colégio Santa Bernadeth, Niterói, 1960. É autodidata em sua formação artística.

No Colégio Militar Ginásio Barão de Paty do Alferes, em Paty do Alferes, onde foi estudar, acabou fazendo amizade com Gonzaguinha e o compositor Paulo Emílio, também alunos. Iniciou a carreira musical aos 17 anos de idade, teve seu primeiro registro como compositor com a gravação de sua canção "A palavra que ficou" por Áurea Martins. Em 1964, gravou seu primeiro disco, um compacto duplo lançado pela Mocambo.

Na década de 1970, fez parte do Movimento Artístico Universitário (MAU), ao lado dos velhos amigos Paulo Emílio e Gonzaguinha, além de Aldir Blanc e Ivan Lins, entre outros.

É autor de mais de 100 músicas gravadas, tendo entre seus principais parceiros Paulo César Pinheiro, Aldir Blanc, Ivor Lancellotti, Marco Aurélio, Paulo Emilio, Cartier, Nei Lopes, Sergio Natureza, Guanieri e Gonzaguinha. Gravou dois discos pelo selo Niterói Discos ("Facho de Luz", 2004 e "Retrato Cantado", 2014).

Saiba mais sobre Márcio Proença


Ficha técnica

Artista: Márcio Proença
Nome do CD: Facho de Luz
Ano: 2004
Gravadora: Niterói Discos
Realização: Secretaria Municipal de Cultura - Fundação de Arte/FAN

Produção: João Carino
Arranjos: Cristóvão Bastos
Projeto Gráfico: Egeu Laus
Fotografias: Silvana Marques
Fotos do encarte: João Carino
Técnicos de gravação: Luiz Cláudio Coutinho e Fábio Motta
Mixagem e Masterização: Fábio Motta, Luiz Cláudio Coutinho e João Carino
Gravado e mixado em março de 2004 no Castelo Studio, Niterói

Músicas

01. Delírio (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
02. Que Bom Seria (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
03. Gosto de Batom (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
04. Um Pouco Mais Canção (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
05. Bons Momentos (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
06. Já Foi, Mas Volta (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
07. Marcas do Passado (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
08. Um Mal de Amor (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
09. Avassalador (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
10. É Bom, Mas é Ruim (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
11. Cilada Fatal (Marcio Proença e José Luiz Lopes)
12. Atitude (Marcio Proença e José Luiz Lopes)





Ficha institucional

Prefeitura de Niterói

Prefeito: Godofredo Pinto
Secretário de Cultura: Marcos Gomes
Subsecretária de Cultura: Marilda Ormy

Fundação de Arte de Niterói

Presidente: Cláudio Valério Teixeira
Superintendente Geral: Maria Inês de Azevedo Oliveira

Niterói Discos
Coordenadora de Produção: Talitha Áscoli




Publicado em 15/04/2015






Publicado emNiterói Discos
Tags Márcio Proença,


Arnaldo Rodrigues - "Composições"
Paulo Leonel - "O Que Tenho Pra Dizer" (2002)
Triodélico - "Tempo" (2002)
Canto e Fé (2002)
Sydnei Carvalho e Alex Martinho - "Intensity" (2005)
Baixe a agenda do mês do Arte na Rua

Rua Presidente Pedreira, 98 - Ingá, Niterói - RJ, 24210-470 | Tel:(21) 2109-2222 | Email: gestao.solardojambeiro@gmail.com