"RETRATO CANTADO", DE MÁRCIO PROENÇA
 
 
Baixe a agenda do mês

Cantor e compositor niteroiense, que coleciona parcerias com grandes nomes da MPB, Márcio Proença lançou em 2014 pelo selo Niterói Discos, o álbum "Retrato Cantado", que reúne, em CD e DVD, 10 composições jamais gravadas por Proença, com direito a solos exclusivos de 14 violões. O disco foi lançado em novembro do mesmo ano, no Teatro Municipal de Niterói.

Clique para ampliar
Produzido pela Carino Produções, com o apoio do Instituto Memória Musical Brasileira (IMMuB), o trabalho faz uma justa homenagem a esse grande artista, que já teve temas cantados por nomes de peso da música brasileira como Nana Caymmi, Gonzaguinha, Lucinha Lins, Beth Carvalho, Cauby Peixoto, entre muitos outros.

De acordo com o produtor musical João Carino, idealizador do projeto, o novo álbum tem como objetivo reproduzir o ambiente musical intimista que Proença gosta de frequentar: amigos, música e um violão "esperto", como o artista diz. "Para cada faixa foi escolhido um violonista diferente. Há faixas com dois e até com quatro violões, e todos fizeram seus próprios arranjos. Tudo embalado e perfeitamente entrosado com melodias de Proença. E, claro, não podia faltar o próprio Márcio se acompanhando na última faixa, onde interpreta uma canção inédita em homenagem a sua cidade natal, Niterói", revela Carino.

O show de lançamento, teve participações especiais de Leny Andrade, Danilo Caymmi, Aurea Martins, Marcus Lima e Adriana Ninsk. Participaram também os violonistas Ricardo Gilly, Charles da Costa e João Camarero.





Márcio Proença

Clique para ampliar
Vicente Márcio Proença Pereira nasceu em Niterói no ano de 1942. Concluiu curso técnico de contabilidade no Colégio Santa Bernadeth, Niterói, 1960. É autodidata em sua formação artística.

No Colégio Militar Ginásio Barão de Paty do Alferes, em Paty do Alferes, onde foi estudar, acabou fazendo amizade com Gonzaguinha e o compositor Paulo Emílio, também alunos. Iniciou a carreira musical aos 17 anos de idade, teve seu primeiro registro como compositor com a gravação de sua canção "A palavra que ficou" por Áurea Martins. Em 1964, gravou seu primeiro disco, um compacto duplo lançado pela Mocambo.

Na década de 1970, fez parte do Movimento Artístico Universitário (MAU), ao lado dos velhos amigos Paulo Emílio e Gonzaguinha, além de Aldir Blanc e Ivan Lins, entre outros.

É autor de mais de 100 músicas gravadas, tendo entre seus principais parceiros Paulo César Pinheiro, Aldir Blanc, Ivor Lancellotti, Marco Aurélio, Paulo Emilio, Cartier, Nei Lopes, Sergio Natureza, Guanieri e Gonzaguinha.

Além de Retrato Cantado, gravou pela Niterói Discos, Facho de Luz (2004).

Saiba mais sobre Márcio Proença


Depoimento de Aldir Blanc. Clique para ampliar



Ficha técnica

Artista: Márcio Proença
Nome do CD: Retrato Cantado
Ano: 2014
Gravadora: Niterói Discos
Realização: Secretaria Municipal de Cultura - Fundação de Arte/FAN

Produção Artística: João Carino
Projeto Gráfico: Letícia Lima
Fotografias: Carlos Levitanus
Técnicos de gravação: Carlos Machado
Mixagem e Masterização: Carlos Machado, Fábio Motta e João Carino
Gravado e mixado em março de 2014 no Castelo Studio, Niterói

Músicas

01. Pare de me Arranhar (Marcio Proença, Darci de Paulo, Flavio Oliveira e Marco Aurelio)
02. Retrato Cantado (Marcio Proença e Aldir Blanc)
03. É Feio (Marcio Proença e Marco Aurelio)
04. Vício de Amor (Marcio Proença e Marco Aurelio)
05. Castelos no Ar (Marcio Proença, Marco Aurelio e Zé Yco)
06. Filme Nacional (Márcio Proença)
07. Cabrocha da Mangueira (Márcio Proença e Paulo Cesar Pinheiro)
08. Ziguezagueou (Márcio Proença, Cartier e Marco Aurelio)
09. A Voz Rouca da Crooner (Márcio Proença e Ivor Lancellotti)
10. Niterói (Márcio Proença e Paulo Emílio)

Os violõese e arranjos ficaram a cargo do Quarteto Maogani ("Pare de me Arranhar"), Célia Vaz ("Retrato Cantado"), João Lyra ("É Feio"), Jean Charmeaux ("Vício de Amor"), João Camarero ("Castelos no Ar"), Guinga ("Filme Nacional"), Maurício Carrilho ("Cabrocha da Mangueira"), Rogério Souza ("Ziguezagueou"), Cainã Cavalcanti e Zé Paulo Becker ("A Voz Rouca da Crooner") e Márcio Proença ("Niterói").





Ficha institucional

Prefeitura de Niterói

Prefeito: Rodrigo Neves
Secretário de Cultura: Arthur Maia
Subsecretário Municipal de Cultura: Cláudio Salles
Subsecretário Municipal de Planejamento: Kiko Albuquerque

Fundação de Arte de Niterói

Presidente: André Diniz
Superintendente Cultural: Victor De Wolf
Superintendente Administrativo: Fernando Cruz

Niterói Discos
Coordenadores: Eri Galvão e Luís Otávio Torreão




Publicado em 22/05/2015






Publicado emNiterói Discos
Tags Márcio Proença,


Arnaldo Rodrigues - "Composições"
Paulo Leonel - "O Que Tenho Pra Dizer" (2002)
Triodélico - "Tempo" (2002)
Canto e Fé (2002)
Sydnei Carvalho e Alex Martinho - "Intensity" (2005)
Baixe a agenda do mês do Arte na Rua

Rua Presidente Pedreira, 98 - Ingá, Niterói - RJ, 24210-470 | Tel:(21) 2109-2222 | Email: gestao.solardojambeiro@gmail.com