ARTHUR MAIA E HIRAN BULLOCK - "BLACK FUSION BAND" (2000)
 
 
Baixe a agenda do mês

Gravado no Mistura Fina, no início de 1998, e lançado em 2000, pelo selo Niterói Discos, o CD “Black Fusion Band” reúne o melhor do baixista brasileiro ao som de um japonês criado nos EUA, Hiram Bullock, músico que começou no sax, mas já tocou com uma lista do jazz e do pop, incluindo Miles Davis, James Brown, Barbra Streisand, Burt Bacharach, Billy Joel, David Sanborn, Paul Simon e Eric Clapton.

A balada soul “Alívio”, parceria de Maia com Djavan abre bem os trabalhos com um tempero do sax injetando suingue. “Salsamba”, de Maia, conforme indica o nome, tenta uma fusão manjada, tumbada por congas. O baixista acopla voz e instrumento e Bullock tira uma chinfra na guitarra citando a beatle Eleanor Rigby.

O japamericano pergunta à platéia se quer boogie e descasca um lentão “I Sing The Blues”, de Savoy Brown, com direito à exibição da extensão gutural do vocal. “Hurricane”, do próprio, tem outra vez o lado de Bullock- de garganta enrouquecida - sobre um tema levemente funkiado. Mas é em “Grooveland”, Paulo Braga, que o ritmo picado come solto, bateria no contrapé, incursões no rap, repique de escola de samba, efeito de voz no canal do baixo e até uma citação do hino do Botafogo pelo baixista, adepto do alvinegro.

“Teen Town”, tema fusion, evoca seu autor, o gênio Jaco Pastorious, o Jimi Hendrix do baixo elétrico. “Color Me”, Bullock, é a balada baba do roteiro, que fecha para balanço na malandra “Condição”, de Lulu Santos, de letra calcada no mote dos camelôs de rua, com um desempenho da dupla central que aponta para um rendimento maior da “Black Fusion” após alguns ensaios e ajustes.

Arthur Maia
Nascido no dia 9 de abril de 1963, no Rio de Janeiro, Maia iniciou sua carreira tocando bateria, até ganhar seu primeiro baixo elétrico, aos 17 anos. Os graves já corriam nas veias, já que o artista é sobrinho do grande baixista Luizão Maia - braço direito de Elis Regina -, com quem aprendeu as primeiras técnicas no baixo, e de quem herdou a sensibilidade que desenvolveu ao tocar esse instrumento.

No cenário nacional, seu nome é prioridade nas bandas de renome do país, tendo tocado ao lado de Ivan Lins, Luiz Melodia e Márcio Montarroyos, os quais Arthur acompanhou a partir de 1976. Entre os diversos grupos de música instrumental que integrou, destacam-se "Garage", "Varanda", "Pulsar" e a "Banda Black Rio". Seu jeito particular de fazer música levou o artista também ao cenário internacional, quando trabalhou com Ernie Watts, Sheila E., Pat Metheny, Carlos Santana e George Benson. Mais tarde, Arthur integrou uma vertente mais pop, fundando a banda "Egotrip". Mas foi o grupo “Cama de Gato”, com um som mais voltado para o jazz, do qual Arthur fez parte como baixista, que deu especial impulso à sua carreira.

Seu primeiro disco solo, "Maia", foi gravado em 1991, e lançado no Brasil e na Europa, com significativa aceitação de mercado. Um ano depois, recebeu o Prêmio Sharp como revelação instrumental. Seu segundo CD, o “Sonora”, foi lançado em show no Canecão, em 1996, com lotação esgotada e consagração da crítica, que possibilitou a gravação do especial “Na Corte do Rei Arthur”, para o SBTVE e, a seguir, a apresentação do músico em seis países europeus, nos Estados Unidos e no Japão. Já em 1999, Arthur lançou, pelo selo Niterói Discos, o CD “Arthur Maia e Hiram Bullok ao Vivo”. Gravado no Mistura Fina, no início de 1998, este disco reúne o melhor do baixista brasileiro ao som de um japonês criado nos EUA, Hiram Bullock, músico que começou no sax, mas já tocou com uma lista do jazz e do pop, incluindo Miles Davis, James Brown, Barbra Streisand, Burt Bacharach, Billy Joel, David Sanborn, Paul Simon e Eric Clapton.

Em 2002, também pelo Selo Niterói Discos, Arthur Maia gravou o álbum “Planeta Música”, que contou com a participação de Paquito D’Rivera, Mike Stern, Marcos Suzano e outros artistas consagrados. Em dezembro deste mesmo ano, realizou o show “Arthur Maia Convida”, na Marina da Glória, no Rio, com a presença de mais de 2.500 ouvintes.

Ao longo dos anos, além de dedicar-se ao trabalho solo, Arthur trabalhou ainda com nomes como Caetano Veloso, Djavan, João Bosco, Lulu Santos, Milton Nascimento, Ney Matogrosso, Plácido Domingos, Ricardo Silveira e Gilberto Gil. A partir de 2013, Arthur Maia passou a atuar diretamente no segmento político, como Secretário de Cultura de Niterói, na gestão do prefeito Rodrigo Neves. Em 2015, o artista dedicou-se à gravação do DVD “O Tempo e a Música”, no Centro de Artes da UFF, ao lado de artistas como Mart’nália, Seu Jorge e Ivan Lins (esse álbum foi lançado pelo Selo Niterói Discos, em 2010).

Hiram Bullock
Um guitarrista com longa lista de créditos, Hiram Bullock foi um músico japonês criado nos EUA, que começou no sax, mas tocou com uma lista do jazz e do pop, incluindo Miles Davis, James Brown, Barbra Streisand, Burt Bacharach, Billy Joel, David Sanborn, Paul Simon e Eric Clapton. Bullock nasceu em Osaka, no Japão, em 1955. Filho de pais americanos que estavam prestando serviços militares, o músico mudou-se para Baltimore ainda pequeno. O artista estudou piano, saxofone e baixo antes de escolher a guitarra. Bullock estudou na escola de Música da Universidade de Miami e fez seu primeiro trabalho profissional com o cantor Phyllis Hyman.

Em meados dos anos 70, mudou-se para Nova York para trabalhar com a banda de Hyman. Uma vez em Manhattan, Bullock começou, prontamente, a trabalhar com artistas como David Sanborn e o grupo The Brecker Brothers. Ele criou um grupo chamado The 24th Street Band, que incluía o baixista Will Lee, o baterista Steve Jordan e o tecladista Clifford Carter. O líder da banda de Letterman, Paul Shaffer, contratou Bullock, Lee e Jordan para ser o centro do show da banda World’s Most Dangerous, e Bullock apresentou-se regularmente de 1982 a 1994. Seu último lançamento foi em 2006: Too Funky 2 Ignore. Hiram Bullock morreu no dia 25 de Julho de 2008 em Nova York. A causa da morte não foi revelada, mas Bullock estava tratando um câncer.



Ano: 2000
Nome do disco: Black Fusion Band - Arthur Maia e Hiram Bullock


Músicas
01. Alívio (Arthur Maia e Djavan)
02. Salsamba (Arthur Maia)
03. Sing The Blues (Savoy Brown)
04. Hurricane (Hiram Bullock)
05. Grooveland (Paulo Braga )
06. Teen Town (Jaco Pastorius)
07. Color Me (Hiram bullock)
08. Condição (Lulu Santos)




Ficha técnica
Produzido: Arthur Maia
Produção executiva: Silvana Lopes
Produção musical: Arthur Maia
Assistente de produção: Raquel Baceiredo
Projeto gráfico: Zapp Design
Fotografia: Paulinho Muniz e Priscilla Casalle
Gravadora: Musicland (Sérgio Paulo Vabbo)
Engenheiro de gravação: Ricardo Mizutane
Técnico de som: Luís Fernando Grilo
Mixagem: Ricardo Mizutane
Edição e masterização: Zeli Mansur


Ficha Institucional

Prefeitura Municipal de Niterói
Prefeito: Jorge Roberto Silveira

FUNIARTE
Presidente: Cláudio Valério Teixeira

NITERÓI DISCOS
Diretor Executivo: Ivan Macedo
Produtor: Paulo Renato Rocha





Publicado em 10/02/2017






Publicado emNiterói Discos
Tags Arthur Maia e Hiran Bullock,


Arnaldo Rodrigues - "Composições"
Paulo Leonel - "O Que Tenho Pra Dizer" (2002)
Triodélico - "Tempo" (2002)
Canto e Fé (2002)
Sydnei Carvalho e Alex Martinho - "Intensity" (2005)
Baixe a agenda do mês do Arte na Rua

Rua Presidente Pedreira, 98 - Ingá, Niterói - RJ, 24210-470 | Tel:(21) 2109-2222 | Email: gestao.solardojambeiro@gmail.com