Secretaria de Cultura de Niterói / Fundação de Artes de Niterói
  MOSTRA "HUMAN ESCAPE" DE CHRISTIAN LEPERINO NO MAC NITERÓI
 
 
Agenda
Cultura
Niterói

Baixe aqui nossa programação mensal completa
Cultura Niteri

A Associação Cultural Artes, o Istituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro e o MAC de Niterói apresentam a exposição do jovem artista napolitano Christian Leperino "Humam Escape".

A mostra de Leperino tem a curadoria de Maurizio Siniscalco e Mario Franco, e reúne 14 pinturas em grande formato feitas em óleo sobre pvc expandido, registrando a degradação urbana das cidades industriais. Christian Leperino, em contraposição à ideia de "civilização" e "progresso", revisita mitos antigos, como o Golen – monstro de barro que nasceu do sonho de uma humanidade, um ser primordial que representa a impotência e a fragilidade do homem, no imaginário judaico – fazendo uma escultura de três metros de altura, que estará no centro do salão principal do MAC Niterói.

Nascido em 1979 em Nápoles, Christian Leperino trabalha desde o ano passado em um projeto multidisciplinar que investiga a relação do homem com a revolução tecnológica, e preparou a exposição especialmente para o MAC Niterói, onde as grandes pinturas, de 240cm x 158cm, em que retrata as periferias napolitanas, com seus conjuntos habitacionais, que testemunham "como o homem condiciona e é condicionado pelo ambiente que o circunda", observa Maurizio Siniscalco.

"Da periferia degradada de Nápoles ao Rio de Janeiro e às suas favelas. Dos galpões industriais abandonados, dos aterros irregulares ao labirinto de casas dependuradas sobre os morros. Das alienações juvenis das raves aos destinos trágicos dos meninos de rua. Uma intricada comparação entre Nápoles e Rio de Janeiro, nascida quatro anos atrás da feliz intuição de Maurizio Siniscalco", ressalta Piovano, diretor do Istituto Italiano di Cultura.





Essas semelhanças entre as duas cidades serão acentuadas pela performance que será feita por Christian Leperino. Do dia 20 a 28, data da abertura da mostra, ele fotografará rostos do público presente no MAC, que depois pintará, cada um, em 25 pequenas telas (15cm x 15cm). Esse trabalho estará ao lado de 25 outras pequenas telas, de tamanho idêntico, que fez com faces de habitantes de Nápoles.

Outro aspecto das duas cidades faz um contraponto na exposição com o cenário de suas periferias. Trata-se do conceito de "downtown", a concepção arquitetônica do centro financeiro. Leperino conta que ao ser convidado para expor no MAC Niterói, pensou em tirar partido de um confronto de dois "espaços existenciais": "as curvas harmoniosas" do prédio projetado por Oscar Niemeyer, e "a arquitetura neogótica do Kenzo Tange", que projetou em 1982 um imenso centro empresarial em Nápoles. "Trabalhei sobre a percepção corpórea deste singular espaço napolitano, que aparece como uma prótese de metal sobre um corpo de carne", explica.

"Human Escape" chega ao MAC de Niterói por iniciativa de Maurizio Siniscalco, presidente da Associação Cultural ArteAs, e apoio do Istituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro, dirigido por Rubens Piovano. Esta é a quarta mostra de artistas importantes que Siniscalco traz ao MAC de Niterói, numa série que começou com "Analogie", do fotógrafo Salvino Campos, em 2007, e teve a "Utópico Filosófico" de Ernesto Tatafiore e "Migranti" de Sergio Fermariello, nos anos seguintes. "A mostra confirma o elo entre Nápoles e Rio de Janeiro", afirma o curador.

Depois do MAC Niterói, a mostra será exibida, de 25 de outubro a 20 de novembro de 2010, no Palazzo delle Arti Napoli (PAN), do Centro de Arte Contemporânea de Nápoles.

"O Golem de Leperino torna-se, deste modo, um monumento, colosso e testemunho das sombras dramáticas do mundo contemporâneo, visto hoje não apenas nos romances fantásticos ou nos filmes de outrora, mas, com diferentes nomes, o cotidiano. Porém, tal como o personagem que inspirou o artista, é um símbolo de esperança", diz Guilherme Bueno, diretor do MAC Niterói.

Perfil- Christian Leperino nasceu em Nápoles em 1979 e graduou-se em pintura na Academia de Belas Artes de Nápole,s em 2000. Participou da "Bienal dos jovens artistas da Europa e do Mediterrâneo" (Sarajevo, Bosnia/2001) e realizou a sua primeira pessoal intitulada "Rawe off" (Franco Riccardo, Nápoles, 2001). Em 2003 venceu o prêmio "Arte Fiera Under 30" (Arte Fiera Bologna), graças ao qual obtém uma bolsa de estudo de três meses no Kunst Werke de Berlim. Realizou o ciclo de obras "Sur-faces", que expõe em 2004, na Lorch+Seidel Galerie, de Berlim.

Em 2005, Leperino participou do seminário "Erlebnis" ("Le Sang du Monde" Città della scienza/Nápoles, 2005); e da coletiva "Percorsi Espositivi dell’Arte Religiosa Contemporanea" (Complesso Monumentale di S.Maria La Nova/Nápoles, 2006). Em 2007 realizou a exposição "Human Project" na NOT Gallery, de Nápoles e participou do "Empty Lands of Desire (PAN - Palazzo delle Arti Napoli/2007). Ainda em 2007, foi publicada a sua monografia, "DUST" pela Paparo Edizioni. Neste mesmo ano, ele expos no Museum of Modern Art Saitama, no Japão. Em 2008 esteve entre os artistas do "Premio Italian Factory per la giovane pittura italiana " (Fabbrica del Vapore/Milão), e participou de "Arte e Omosessualità. Da von Gloeden a Pierre et Gilles" (Palazzo della Ragione/Milão e Palazzina Reale/Florença, 2008). No mesmo ano encontrou-se entre os artistas escolhidos para as instalações de "Sistema Binario" junto à Estação de Mergellina de Nápoles com a obra "Cityscape", que foi adquirida em comodato de uso pela sociedade Centostazioni e colocada, permanentemente, no arco do átrio de ingresso da estação.

Em 2009, Christian Leperiono apresentou uma obra nos Musei Universitari de Palazzo Poggi, no âmbito do evento "Art First/Arte Fiera Bologna" e da exposição "Hoc est enim corpus meum", preparada nas salas do Museu Universitário da Opera Suor Orsola Benincasa, a instalação "Tactus intimus". Atualmente, Leperino trabalha sobre um projeto multidisciplinar, que tem como objeto o destino do homem na época da revolução tecnológica, iniciado com o evento "Human Revolution", instalação e performance realizadas para o Real Museo Mineralogico da Università degli Studi "Federico II" (Nápoles, 2009).





    Por Maurizio Siniscalco

    Esta é a quarta mostra no MAC Niterói com minha curadoria. A primeira, "Analogias", de Salvino Campos, aconteceu em 2007. No ano seguinte foi a vez de "Utópico Filosófico", de Ernesto Tatafiore. E em 2009, "Migranti", de Sergio Fermariello.

    Com "Human Escape", de Christian Leperino, jovem artista que contextualiza o degradado "hinterland napolitano" e a revisitação de antigos mitos simbólicos, confirmam o parentesco entre Nápoles e o Rio que tanto me entusiasmou e que realizei com a ajuda determinante de Nicola Oddati, assessor de cultura da cidade de Nápoles e presidente do "Forum delle Culture" e com Rubens Piovano, diretor do Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro. Graças a eles consegui realizar meu intento de levar esta mostra ao Rio e a Nápoles.

    A mostra de Leperino me é muito cara e me tocou bastante. Christian mostrou-se entusiasmado em levar sua obra para o MAC Niterói e produzir um trabalho novo e original. Algo particular, criado especialmente para este evento. Fez 14 grandes telas representando periferias metropolitanas e um Golem de grandes dimensões a ser colocado no centro do salão. Produziu também 25 pequenas telas de personagens retratados em sua expressão violenta ou sonhadora durante as raves que acontecem nos armazéns abandonados da área periférica, outrora industrial. E deixou em branco outras 25, que pintará (como em uma autêntica performance) no museu, inspirando-se em rostos e personagens do lugar, como testemunha de como o homem condiciona e é condicionado pelo ambiente que o circunda.

    O Golem é uma espécie de imagem embrionária do ser humano, um ser primordial que recorda a corporeidade e a fragilidade. No trabalho de Leperino é impressionante a semelhança entre nossas duas cidades; também nos rostos de seus habitantes, que sofrem condicionados pelo ambiente, todas as variações das metrópoles atuais, sufocados pelo desenvolvimento desordenado das periferias circundantes. Como curador da mostra estou bastante feliz com esta nova e inédita produção de Leperino, fortemente ligada às cidades de Nápoles e do Rio, explica Maurizio Siniscalco.



SERVIÇO

Christian Leperino – Human Escape | MAC Niterói
Curadoria: Maurizio Siniscalco e Mario Franco
Realização: ArteAs, Istituto Italiano di Cultura e MAC Niterói
Datas: 29 de agosto a 03 de outubro de 2010
Visitação de terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$ 4,00 - entrada franca às quartas-feiras.

Local: MAC - Museu de Arte Contemporânea de Niterói
Endereço: Mirante da Boa Viagem, s/nº – Niterói, Rio de Janeiro.
Telefone: (21) 2620-2400






Tags Christian Leperino, Maurizio Siniscalco, Mario Franco,




Coletivo Entreartes abre a exposição "Ressurgência", no MAC Niterói
IPHAN anuncia conclusão do processo de tombamento do MAC
"Um Autorretrato Cubano" é a primeira exposição virtual do Mac Niterói
Yuli Yamagata abre exposição inteira feita especialmente para o MAC
Coleções afetivas: acervo de arte de uma cidade


aaaaaa

Mapa do Site

Cultura Niterói
 
Espaços Culturais
 
Programas
 
Outros
 
 
 
Portal Transparência
Contracheque Online
e-SIC
Comprovante de Rendimento
Consulta de Processos
 
Rua Pres. Pedreira, 98, Ingá - 24210-470, Niterói - RJ | Tel: (21) 2719-9900 | E-mail niteroi.culturas@gmail.com