Partindo da ideia de que aos domingos tudo ganha uma aura diferente, O Estendal vai cruzar a cidade e parar nas paredes do Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, com a exposição "Domingo no Campo de São Bento". Imagens compõem um mosaico de diferentes interpretações, dos brinquedos do parquinho infantil até seu chafariz, com toda a natureza exuberante do local.

Dez fotógrafos cariocas registraram o lado lúdico do parque Prefeito Ferraz – nome oficial da grande área verde localizada no bairro Icaraí, em Niterói. Sem perder a individualidade dos autores, as imagens compõem um mosaico de diferentes interpretações sobre o Campo de São Bento, uma exposição que revela em imagens as experiências vividas por cada um dos participantes nesse espaço. A exposição, que tem curadoria de Claudia Tavares, está programada para acontecer até 28 de outubro, no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno.

O tradicional Parque Shanghai, na Penha, foi o primeiro local registrado na série com a exposição Domingo no Parque, que já passou pela Galeria Studio, Solar Meninos de Luz e no próprio parque. Desde 2010, os integrantes do Estendal - que significa varal em português de Portugal – já promoveram mais de 30 exposições em todo o Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Minas Gerais e até em Lisboa.

"A fotografia e as intervenções de rua estão ocupando um lugar de destaque nas mostras de arte.Nesta época de massificação da imagem, nossa intenção é democratizar a fotografia propondo ações que dialoguem com a população", conta Ana Rodrigues, uma das integrantes do coletivo ao lado de Daniel Chiacos, Alfredo Alves, Juscelino Bezerra e convidados.

Registradas em preto e branco, as imagens de Ana Rodrigues, uma das criadoras do coletivo, revertem à noção de paisagem natural trazendo-as para o campo do imaginário.

De acordo com ela, eles conhecem o Campo de São Bento há algum tempo e sempre consideraram um lindo lugar. Em especial, consideram curiosa como a relação da população com o espaço muda conforme o dia da semana. Alguns dos artistas convidados já moraram em Niterói, mas o resultado é basicamente fruto de um olhar não habitual.

"O dia de domingo é cheio de uma carga. É um dia de família, de descanso. O Campo de São Bento é lindo, com seu lago, seus brinquedos e suas alamedas. É um espaço vivo e muito bem-aproveitado pela população. Além de contar com a galeria, um espaço de arte dentro de um parque. A união de natureza com arte é incrível”, descreve Ana Rodrigues.

Surgido em meio aos jardins do parque, o trabalho de Juscelino Bezerra aponta para a copa das árvores, enaltecendo a essência gráfica desses desenhos naturais, aproximando-os do território da gravura. Já Ana Kemper apresenta um autorretrato com uma flor recolhida no local.

"Sua experiência é interna, não se apresenta diretamente por meio da observação dos elementos do parque, mas pelo o que o ambiente causa nela própria”, explica a curadora, sobre o trabalho de Kemper.

Silvio Moréia tem como personagem principal a água, trazendo à tona a força de explosão que a lança ao alto contra o céu cinzento. O nome do quadro é "Água Benta”. Alterando o foco, as fotos de Alfredo Alves mostram brincadeiras de várias crianças em um único brinquedo, sob o mesmo ponto de vista. Frequentadores também são ilustrados na imagem de Daniel Chiacos.

"Daniel remonta uma cena simples, mas potente em sua beleza, a alegria de meninos protegidos pela mãe, emoldurados por um singelo arco-íris ao fundo”, explica Claudia.

Trazendo um aspecto mais lúdico e curioso, Ana Cris Loureiro apontou para os brinquedos, revelando detalhes pouco observados por estarem em constante movimento. Partindo de um enfoque mais conceitual, Fábio Seixo optou por deixar de lado as tecnologias recentes, na busca por um resultado mais surpreendente, e expôs apenas um negativo em sua câmera de grande formato, em um processo analógico.

Com um caráter também mais experimental, Camila Marchon mostra uma imagem analógica inicial do parque de Niterói que foi sendo triturada em um "liquidificador” e reescaneada num processo contínuo até seu completo desaparecimento. Já Glória Mota criou uma relação onírica com suas fotografias.

Curadoria: Claudia Tavares

Artistas: Ana Rodrigues, Daniel Chiacos, Alfredo Alves e Juscelino Santos
Convidados: Ana Kemper, Ana Cris Loureiro, Camila Marchon, Fabio Seixo, Gloria Motta e Sílvio Moréia

Serviço

Exposição Domingo no Campo
Data: De 4 até 28 de outubro
Local: Centro Cultural Paschoal Carlos Magno

Local: Campo São Bento
Endereço: Rua Lopes Trovão s/nº, Campo de São Bento,
Icaraí, Niterói – RJ
Valor: Grátis
Classificação: Livre
(21) 2610-5748

Tags:






Publicado em 10/09/2013

Exposição Ponte Rio-Niterói: 50 Anos Conectando Histórias De 23 de junho a 30 de junho de 2024
Apresentação da Chamada Pública do CCPCM ENCERRADA
Mostra movimenta o Paschoal De 18 e 23 de agosto de 1998
Niterói de Ontem e de Hoje em mostra fotográfica no CCPCM Leia mais ...
Telas de Milton Eulálio, em exposição no CCPCM Leia mais ...
CCPCM abre exposição coletiva 'Gravadores e Escultores' Leia mais ...
Thereza Brunet expõe geometria e esoterismo no CCPCM Leia mais ...
No Paschoal, as flores que inspiram Tay Bunheirão Leia mais ...
Encontro com Tay no Paschoal desmistifica criação Leia mais ...