O lançamento oficial do documentário "Caminho Niemeyer" no MAC, pretende ser mais do que uma estreia. O curta, escrito por Ferreira Gullar e dirigido por Zelito Viana, é a primeira produção da recém-criada Niterói Filmes, que busca fomentar o mercado cinematográfica na cidade.

Depois dos selos Niterói Discos e Niterói Livros é a vez do cinema despontar na cidade. A produção escolhida para inaugurar o selo Niterói Filmes fala do cidadão quase niteroiense Oscar Niemeyer.

Neste sábado, 19 de janeiro de 2008, às 20h, o cineasta Zelito Vianna exibe o documentário Caminho Niemeyer, em uma das mais belas obras do arquiteto na cidade, o Museu de Arte Contemporânea (MAC). Em parceria com Ferreira Goulart, Zelito percorreu os 3,5 km da orla de Niterói, trecho que reúne o maior número de trabalhos de Niemeyer no mundo, depois de Brasília. As cenas foram filmadas de helicóptero, lancha e carro, e o resultado é um ângulo inédito sobre as sete obras do arquiteto na cidade, com 15 minutos de duração.

"Esse tipo de documentário é importante" - diz Zelito. "Muita gente acha que não é preciso documentar obras arquitetônicas de forma audiovisual, mas na verdade é essencial para a formação de um banco de dados".

"A forte relação que existe entre Niemeyer e Niterói é revelada através de belíssimas cenas desse conjunto arquitetônico de caráter popular, com grande potencial turístico, composto por sete monumentais construções, que são o Teatro Popular, a Fundação Oscar Niemeyer, o Centro de Memória Fluminense Governador Roberto Silveira, a Praça Juscelino Kubitscheck, o Centro Petrobras de Cinema, o Museu de Arte Contemporânea ( MAC) e a Estação Hidroviária de Charitas", explica o Secretário de Cultura, André Diniz.

"Caminho Niemeyer" custou R$ 60 mil, quase um quarto do orçamento anual do projeto. O documentário foi uma espécie de agradecimento à Petrobras, por ter investido no Centro de Cinema, em São Domingos.

"No contrato, estava previsto que deveriamos produzir um vídeo institucional para a Petrobras. Fizemos, então, mais do que isso. Produzimos o documentário, que também terá um lançamento em DVD, orçado em R$ 20 mil".

Dimensões privilegiadas

O ponto de partida para Zelito produzir o filme sobre Niemeyer foi uma declaração do arquiteto revelando que Niterói lhe interessa muito porque as obras estão muito próximas. "É um privilégio ter sido convidado para fazer esse trabalho, porque o Niemeyer é uma das figuras mais importantes do Brasil nesse século. Sinto-me honrado também por ter contado com a valiosa colaboração de Ferreira Gullar, que além de exímio poeta, é um dos mais conceituados críticos de arte dos nossos tempos", afirma Zelito.

A aprovação do projeto do cineasta, pela Secretaria de Cultura, contou com a ajuda do centenário de Niemeyer. "A ideia de fazer o documentário sobre o Caminho Niemeyer surgiu de uma conversa com Zelito Vianna, aproveitando as comemorações em homenagem ao centenário de Oscar Niemeyer. O nosso objetivo era integrar a homenagem à ideia da cidade virar um polo cinematográfico, com a criação da Niterói Filmes e o Centro Petrobras de Cinema", conta André Diniz.

Segundo o secretário, a intenção do novo selo é realizar oficinas de formação para profissionais ligados à área de cinema, além de promover atividades gratuitas de exibições e produções cinematográficas.


SERVIÇO

Documentário Caminho Niemeyer, de Zelito Vianna
Data: 19 de janeiro de 2008, sábado
Horário: 20h
Entrada franca

Local: Museu de Arte Contemporânea.
End: Mirante de Boa Viagem, s/n.
Tel.: 2620-2400.





Publicado em 03/05/2021