Fernando da Silva Caneca Júnior, conhecido como Fernando Caneca, é um violonista, guitarrista e compositor brasileiro. Nasceu em Recife (PE) em 10 de fevereiro de 1964 e, ainda menino, foi radicado no Rio de Janeiro.

Como músico amador integrou, em 1982, o Regional de Choro do Conservatório Pernambucano de Música, ao lado do bandolinista Marcos César. Em 1984, fez parte da Orquestra de Violões da UFF, regida pelo violonista Francisco Frias e, no ano seguinte, iniciou seus estudos de Harmonia com Sérgio Mello Benevenuto.

De 1989 a 1992, foi professor da Escola Rio Música - sendo coautor do método utilizado até hoje pela escola -, onde lecionou Harmonia, Guitarra e Teoria Básica, além de ter realizado os workshops "Análise de solos de Wes Montgomery", "Improvisação em blues" e "A rítmica da guitarra", na mesma instituição.

Tocou em turnês nacionais e internacionais com Ivan Lins, de 1991 a 1994. Participou de shows e gravações juntamente com Arthur Maia, Fagner, Marcos Valle e Gal Costa. Passou a integrar, desde outubro de 1994, a banda de Marisa Monte, tendo participado das gravações do CD Barulhinho Bom.

Gravou para a Rede Globo os especiais “Brasil 500 anos” (1998) e “100 anos de Música” (1999) e, nos anos de 2000 e 2001, fez parte da banda da cantora Simone, tendo participado da gravação do CD “Fica comigo esta noite”.

Também em 2001, acompanhou a cantora e compositora Zélia Duncan na turnê de lançamento do CD “Sortimento”.

Tem atuação como guitarrista ao lado de Cesinha (bateria) e Fernando Nunes (baixo), formando o trio instrumental Flenks, com o qual gravou CD homônimo em 2000. O disco, lançado pela Visom, foi indicado em cinco categorias para o Grammy Latino 2001.

Como produtor musical, foi responsável pelos CDs “Um” (1999), do cantor e compositor Cláudio Lins, e “Ela e ele e eu” (2001).

Ao longo de sua carreira, participou de shows e gravações ao lado de vários artistas, como Arthur Maia, Fagner, Marcos Valle, Ednardo, Eliana Printes, José Augusto, Emílio Santiago, Banda Beijo, Carla Visi, Cesária Évora, Gabriel O Pensador, Gal Costa, Fred Martins, Falamansa, Moraes Moreira, Vanessa da Matta, Lan Lan e os Elaines e Arthur Maia, além dos já citados.

Em 2004, lançou o CD “Visitando Canhoto da Paraíba”, contendo “Visitando o Recife”, “Glória de relâmpago”, “Tua imagem”, “Dezenove de março”, “Lembrança que ficou”, “Agudinho”, “Cordão amigo”, “Ta quentinho”, “Choro na madrugada”, “Com mais de mil”, “Todo cuidado é pouco”, “O grito do mestre Sérgio” e “Forrobodó (fantasia nordestina)”.






Publicado em 13/09/2013
Museu Antônio Parreiras