Cantora performática, compositora e atriz, Suzie Thompson começou desde cedo no teatro e se descobriu cantora nos musicais infantis e adultos nos quais participou depois de se formar na Casa das Artes de Laranjeiras, a CAL. Realizou diversas apresentações no eixo Rio-Niterói e posteriormente Nova York (EUA), chegando a tocar nos mais diversos espaços e eventos, como teatros, bares, programas de rádios e televisão e blocos de Carnaval.

Em 1997, Suzie definiu a música como sua principal vocação artística e criou a Bandaloba. À frente desse grupo, participou de uma edição dedicada a Niterói do “Programa Legal” (TV Globo, com Regina Casé), cantando “Prometeu”, canção de Suely Mesquita e Rodrigo Campello, nas areias da praia de Itacoatiara. Logo depois, Suzie assumiu o papel de band leader e colocou seu nome à frente do trabalho (Suzie Thompson & Banda).

Lançou, em 2003, o CD de estreia “Suzie para maiores”, álbum de pop dançante com letras que transitam pelo erótico e pela crítica social, contando com 13 faixas: “Viro no chão”, “Lei”, “XXI”, “Calcinha congelada”, “Ponto do encontro”, “Relações exteriores”, “Mulher de antenas”, “Pura fantasia”, “Pornô”, “Gênio”, “Loba”, “Rio de gente” e “Morrer de bem”. Foi produzido por Raul Rachyd e contou com as parcerias de Suely Mesquita, Luís Capucho, Mathilda Kóvac, Jorge Makandal, Arícia Mess, Rodrigo Campello, Kali C. e Pedro Luís, entre outros.

Na área teatral, criou vários espetáculos, entre eles “Onde está Suzie?”, “Suzie na Terra de Oz” e “Suzie e a invasão extraterrestre” e, em Nova York (onde ele se consagrou para o mundo), foi uma das bruxas do coro da Ópera “Tamanduá – The Brazilian Opera”, de João MacDowell.

Trabalhou com artistas como Bia Bedran, Ney Matogrosso, Clóvis Levi, grupo Hombu, Bia Lessa, Marcello Caridad e Miguel Falabella, além de ter aberto espaço em seus shows para compositores novos, como Suely Mesquita, Fred Martins, Pedro Luis, Mathilda Kóvak, Kali C., Luís Capucho, Jorge Makandal, Arícia Mess e Rodrigo Campello.

crítica
“Suzie pega a dramaturgia pelos cabelos e arrasta para a cena aberta. O show apresenta esquetes inusitados, inteligentes, bem humorados, irônicos, mas, sobretudo, urbanos. Muito urbanos. Porque Suzie Thompson encarna o que há de mais urbano na música pop contemporânea brasileira do século vinte e um”. (Luiz Antonio Mello, jornalista, radialista, escritor e crítico de música).






Publicado em 0000-00-00
Museu Antônio Parreiras