Como parte das comemorações do aniversário de Niterói, duas das mais tradicionais rodas de samba da cidade, o Terreiro da Vovó e o Candongueiro, convidam para uma edição do "Clássicos do Samba", uma noite de muita música com três dos mais representativos cantores da terra de Arariboia: Marquinhos Diniz, Chico Alves e Zé Katimba. Tudo isso bem ali, no palco da Sala Nelson Pereira dos Santos, na sexta-feira, 19 de novembro, às 21h30. É só chegar com muita disposição e alegria.

Marquinhos Diniz

Filho de Monarco, integrante da Velha Guarda da Portela, pertenceu à ala de compositores dos blocos carnavalescos Unidos de Oswaldo Cruz e Rosa de Ouro, ambas do bairro de Oswaldo Cruz, sendo campeão em várias ocasiões. Começou a compor ao 14 anos de idade e em 2003, a Escola de Samba Unidos do Jacarezinho desfilou com um samba-enredo de sua autoria em homenagem ao comunicador e apresentador de TV Chacrinha. Integrou o Trio Calafrio, ao lado de Luiz Grande e Barberinho do Jacarezinho. Em 2010 apresentou-se no programa "Agora no ar!", no auditório da Rádio Roquette-Pinto, juntamente com seu pai Monarco, seu irmão Mauro Diniz, e sua sobrinha Juliana Diniz. Na ocasião, com roteiro e apresentação de Ricardo Cravo Albin, a Família Diniz apresentou vários sucessos de carreira de cada um dos integrantes.

Chico Alves

O capixaba Chico Alves despontou nas rodas de samba de Niterói e do Rio no começo da década de 2000. Integrou o grupo de samba e choro Unha de Gato, com quem gravou o CD Festa Pro Povo (2008). Com o melodista e violonista Marco Pinheiro lançou o álbum Amigos e Parceiros (2009). Também foi integrante do Sambalangandã, grupo que durante sete anos manteve uma roda de samba antológica no Mercado das Pulgas, em Santa Teresa, e com quem gravou Fuzuê (2012). Seu primeiro disco solo, Pra Yayá Rodar a Saia, de 2017, foi indicado ao Prêmio da Música Brasileira na categoria “regionais”. Foi gravado por Leila Pinheiro, Guinga, Áurea Martins, Moacyr Luz, Toninho Geraes e Quarteto em Cy, entre outros. É autor do samba enredo da Vila Isabel para o Carnaval 2020 e do Tuiuti 2022.

Zé Katimba

José Inácio dos Santos, antes conhecido como Zé Katimba, é um compositor de sambas de enredo brasileiro, sendo considerado um dos criadores da versão moderna do gênero musical. Aos 16 anos, participou da fundação da Imperatriz Leopoldinense, e até hoje faz parte da ala de compositores da agremiação. As músicas de Katimba ganharam voz com: Martinho da Vila, Zeca Pagodinho, Emílio Santiago, Elimar Santos, Demônios da Garoa, João Nogueira, Agepê, Simone, Julio Iglesias, Alcione, Leci Brandão, Elza Soares, Jorge Aragão, além lógico, dele próprio. Na década de 70, virou personagem da novela Bandeira Dois, escrita por Dias Gomes para a Rede Globo, num Katimba interpretado por ninguém menos que Grande Otelo. Seu samba Martin Cererê, tema da trama, gravado pela Som Livre, vendeu 700 mil cópias.

Terreiro da Vovó

O samba do Terreiro da Vovó foi fundado em 16 de abril de 2011, na zona norte de Niterói, no bairro Fonseca. A intenção dessa reunião cultural, se deu da necessidade em resgatar o samba tradicional, fazendo desse projeto um ponto de resistência, verdade e muito amor pelo samba. Por lá passaram nomes importantes do nosso samba, como Mestre Wilson Moreira, Moacyr Luz, Wanderley Monteiro, Serginho Meriti, Gabrielzinho do Irajá, Glória Bonfim, Marquinho Satã, Luciano Bom Cabelo, Arifan, Mingo Silva, Juninho Thybau, Renato da Rocinha entre outros mestres e amigos.

Candongueiro

A roda nasceu no quintal de casa apenas para amigos, se tornou sucesso estrondoso ao longo dos anos e, quinzenalmente, atraía centenas de pessoas a Niterói. Além de contar com músicos extremamente virtuosos, conquistou um público cativo, que teve a sorte de acompanhar participações memoráveis de baluartes do samba como Beth Carvalho, Dona Ivone Lara, Nelson Sargento, Wilson Moreira e Nei Lopes, entre outros. A tradição da roda de samba do Candongueiro está diretamente ligada à estreita relação com a Portela. Regularmente, a Velha Guarda da escola de Oswaldo Cruz se apresentava na última roda de samba do ano em Niterói, com garantia de casa lotada. Todos unidos na paixão pelo samba de raiz.


SERVIÇO

Clássicos do Samba
Terreiro da Vovó e Candongueiro condidam Marquinhos Diniz, Chico Alves e Zé Katimba
Data: Sexta-feira, 19 de novembro de 2021
Horário: 21h30
Classificação indicativa: Livre
Entrada Franca para o show (1kg de alimento não perecível)

Local: Sala Nelson Pereira dos Santos
Sala Nelson Pereira dos Santos
Avenida Visconde do Rio Branco, 880, São Domingos, Niterói



A volta dos eventos e o novo normal

Com a pandemia do novo coronavírus e as recomendações de distanciamento social, a cidade tem que se reinventar na realização de eventos. O mês de novembro sempre foi destaque, por conta do aniversário de Niterói. Como repetir uma festa dessa em 2021, com todas as restrições impostas pela pandemia?

A solução criativa, que se tornou parte do novo normal, é organizar a celebração de forma mista, virtual e presencial, em ambientes controlados. Com isso, evita-se aglomerações. A proposta de comemoração do aniversário da cidade em 2021 é a realização de uma série de shows, no Theatro Municipal de Niterói (TMJC) e na Sala Nelson Pereira dos Santos (SNPS). Serão lives de alta qualidade, com transmissão nas redes sociais da Prefeitura de Niterói, levando entretenimento de qualidade para todos os moradores de Niterói, além de divulgar nossa cidade como atração turística e seleiro musical, já que as lives poderão ser assistidas de qualquer lugar do planeta.

A presença de público nos locais respeitará os protocolos de segurança vigentes. A entrada será gratuita - com retirada na SNPS e TMJC -, mas será solicitado ao público que leve um quilo de alimento não perecível para a campanha Niterói Solidária.


Tags:






Publicado em 11/11/2021

O infantil "Família Encanto" entra em cartaz na Sala Nelson Sábado, 27 de julho
Suzy Brasil apresenta "Made in Brasil", na Sala Nelson Sábado, 27 de julho
Carlos Mauro passeia por sua carreira na Sala Nelson Domingo, 28 de julho
Memória: Adriana Calcanhotto inaugura Sala Nelson Pereira dos Santos ENCERRADA
Memória: Sala Nelson recebe Paulinho Moska e os Violões Fênix ENCERRADA
Memória: Emicida apresenta AmarElo na Sala Nelson Pereira dos Santos ENCERRADA
A Sala Nelson Pereira dos Santos