Cantora, violonista e compositora, Lilian França Santos nasceu em Niterói, no ano de 1967. Seu estilo musical é marcado por uma diversidade rítmica, passando por gêneros musicais como o samba, baião, xote, chorinho e baladas, entre outros. A artista busca inspiração em compositores brasileiros consagrados, como Gilberto Gil, Chico Buarque e Tom Jobim, interpretando as canções desses autores com arranjos próprios, nem sempre convencionais. Também em seu repertório se destacam composições próprias, além de canções de uma nova geração de compositores brasileiros, muitos deles provenientes de sua cidade natal.

Iniciou seus estudos de Violão Erudito aos seis anos, na Escola de Música Santa Cecília e com a professora Alcina Mascarenhas, interrompendo-os para cursar a faculdade de Engenharia na Universidade Federal Fluminense, onde se graduou em 1990. Reiniciou o estudo de Harmonia Funcional em 1992 e fez Canto Lírico com os professores Romeo Savastano, Maude Salazar e Gláucia Henriques.

Foi integrante no naipe de sopranos de diversos coros e grupos vocais, como o “Coral da UFF” e “Coral Nós e Voz”, entre outros. Apresentou-se como cantora na Noite de Cultura Niteroiense apresentada em Nova Prata (RS), durante o III Encontro Latino-Americano de Poesia e Casas de Poetas, em maio de 1992. Ainda em 1992, Lilian se apresentou em diversos espaços culturais com o espetáculo Os Diversos Caminhos do Verso (voz, violão, poesia e dança). Lilian desenvolveu também trabalho infantil junto com o grupo de teatro de fantoches Era Uma Vez, interpretando a personagem Dona Música, que realizava a parte musical do espetáculo.

Em janeiro de 1994, Lilian apresentou seu primeiro trabalho profissional como intérprete ao estrear o show “Outros Quereres” em Niterói. Neste show ela percorreu repertório que ia do jazz ao baião. O show estreou no Rio de Janeiro em abril de 1994 no Café Laranjeiras e foi apresentado no Rio Jazz Club, Au Bar, Encontros Cariocas, entre outros.

Paralelo ao show Outros Quereres, Lilian também desenvolveu trabalho mais popular, que foi apresentado no Barra Shopping (fevereiro de 1994); Norte Shopping (abril de 1995, fevereiro e abril de 1996 e fevereiro de 1997, 1998, 1999 e 2000); Ilha Plaza (abril de 1995 e 1996); Plaza Shopping (agosto de 1994 e julho de 1996 e 1998); Via Parque (janeiro de 2000) e Bay Market (novembro de 1999). Nestes e outros trabalhos, foi acompanhada pela Banda Rio Solto, formada pelos músicos Sérgio Tannus, Sônia Nogueira, Luizinho Teixeira, Carlos Poubel e Marco Aurélio Silva.

Durante o ano de 1995, Lilian se apresentou em diversas casas noturnas do eixo Rio-Niterói-Vitória, apresentando o show Homenagem a Cartola, incluindo entrevista e apresentação, ao vivo, na TV Gazeta (ES). Este show foi reapresentado em fevereiro de 1998, durante as comemorações dos 90 anos do compositor, em evento realizado pela Universidade Gama Filho no Norte Shopping, e em 2000 no Centro Cultural da Light.

Entre 1997 e 1998, Lilian gravou seu primeiro CD, “Combustível”, que contou com direção musical, arranjos e produção de Sérgio Tannus e com participações especiais de Marcos Suzano (pandeiro) e Sérgio Chiavazzoli (bandolim), além do incentivo do cantor e compositor Lenine. “Combustível” foi relançado no segundo semestre de 1999, pelo Selo Niterói Discos.

O show do CD Combustível foi apresentado de 1999 a 2001 em diversas casas do Rio, São Paulo (Sesc Pompéia e Sesc Consolação), Vitória, Guarapari, São João Del Rei (Festival de Inverno) e programas de TV, como Sem Censura, Caderno Teen (ambos na TVE), Jogo Aberto e ESTV (TV Gazeta, ES) e TV Guarapari (ES), entre outros.

Entre setembro de 2006 a março de 2017, a cantora divulgou as canções de um novo CD no concerto intitulado “Sons do Brasil”, junto com o multi-instrumentista Sérgio Tannus. Realizaram apresentações em diversas cidades europeias, incluindo, entre elas, as cidades de Santiago de Compostela, Corunha, Vigo e Pontevedra (Espanha), Paris, Marselha, Toulon e La Seyne (França), Munique (Alemanha) e Lisboa (Portugal).

crítica
"[...] Voz delicada e afinada, a niteroiense Lilian França canta choro, samba de breque, baião, toada, canção - e tal versatilidade nem todas podem apresentar.[...]" (Mauro Dias, crítico musical do jornal Estado de São Paulo – Brasil, 1999).

"[...] Além da digna proposta de apresentar a música criada por pessoas da sua cidade, o trabalho de Lilian é uma promessa para a música brasileira. O seu álbum, Combustível, tem qualidade em vários aspectos. Ela tem voz bonita, bom repertório e é acompanhada por bons instrumentistas.[...]" (Janaina Rocha, 1999).

"[...] Lilian volta com um trabalho que reúne MPB e world music utilizando instrumentos deferentes como o xequerê e transformando objetos como o balde e a moringa em percussão. [...] Os ritmos são variados, vão do samba ao baião, do breque à balada e do choro ao pop.[...]" (Andrea Pena, 1999).

“Que voz! Que repertório! Que balanço! Que talento! Uma voz brasileira fascinante e calorosa; dedos que fazem viravoltas no violão: um Duo de harmonia perfeita que encantou literalmente a platéia, conseguiram inflamar o público" (Sophie Santucci - site Yaquoi – Seyne-sur-Mer– França).







Publicado em 05/11/2013
Museu Antônio Parreiras