Ator, diretor e professor de teatro, Silvio José Fróes nasceu em Niterói, em 11 de fevereiro de 1947. É formado pelo Conservatório Nacional de Teatro, além de ter Bacharel em Direito pela Universidade Federal Fluminense – UFF e Pós-Graduação em Docência em Ensino Superior.

Conta com décadas de carreira nas artes cênicas, incluindo TV, Cinema e Teatro, sendo nos palcos a área em que mais desenvolveu trabalhos. Pertence à família do ator Leopoldo Fróes, considerado o mais importante ator e empresário teatral brasileiro do início do século XX e fundador do Retiro dos Artistas, instituição de amparo a artistas idosos criada em 1918 e que existe até hoje no Rio de Janeiro.

Iniciou sua trajetória artística participando da montagem “Mãos Dadas”, uma coletânea de poemas de Carlos Drummond de Andrade. Em 1968, trabalhou em “A Morta”, de Oswald de Andrade e, logo depois, no infantil “A Volta do Camaleão Alface”, de Maria Clara Machado.

Ao lado de Tonico Pereira, Elba Ramalho, Tânia Alves e Walter Breda, Silvio Froes atuou em espetáculos da companhia teatral de Luiz Mendonça, viajando pelo Norte e pelo Nordeste, por 15 capitais e três cidades do interior, com patrocínio do INACEM (hoje FUNARTE), apresentando espetáculos como “Canção de Fogo” e “A Chegada de Lampião ao Inferno”.

Trabalhou também no Teatro de Revista sob a direção de Carlos Machado, integrando, em 1979, o elenco da revista “Rio de Cabo a Rabo”, no Teatro Rival, no Rio de Janeiro. Também atuou no espetáculo “O Bom Burguês”, em São Paulo.

Em 1980, montou “Sonho Só Sonho”, espetáculo ganhador de sete prêmios no Festival de Teatro Infantil. Dois anos depois, e atuou em “Brasil Braseiro, o Jazz Brasileiro”, apresentado em Niterói. Ainda em Niterói, dirigiu “O Auto da Paixão de Cristo”, no Campo de São Bento, assistido por mais de quatro mil pessoas.

Para além dos palcos, passou a atuar como professor e coordenador do curso de teatro para iniciantes da Oficina de Atores, além de dirigir e produzir todas as produções realizadas pelos alunos da Oficina – entre outras, o musical “Acontecendo na Era de Aquarius” (2014). Na TV Globo, trabalhou em novelas como "Duas Vidas", "Dancin Days" e "Bandidos da Falange" e, no cinema, trabalhou com o diretor Alberto Salvá.






Publicado em 0000-00-00
Museu Antônio Parreiras