Em 2017, o Selo institucional da Prefeitura de Niterói, Niterói Discos, lançou o CD do cantor e compoositor Zé Tobias. Com Produção Artística de Paulo Cesar Feital e Direção Musical de Altay Veloso, o disco é uma homenagem a um dos mais tradionais intépretes da Música Popular Brasileira, que completava 89 anos.

Loucura. Foi como José Tobias definiu a ideia dos amigos Altay Veloso e Paulo Cesar Feital, sugerindo que ele gravasse um disco em comemoração às suas nove décadas de vida e fizesse um show de lançamento.

"Tem um momento na vida em que você acha que já fez tudo que tinha para fazer e está na hora de descansar, deixar a vez para os garotos. Mas os dois me convenceram, e fui em frente" — explica o músico.

O disco "90 anos de música popular brasileira" tem composições de grandes ícones do gênero, como Vinicius de Moraes, Ary Barroso e Luiz Gonzaga.

Eu era um grande fã de Orlando Silva. Por isso, gravei "Lábios que beijei", assim como "Por causa desta cabocla" é uma homenagem a Ary Barroso, que vivia pedindo que eu a gravasse. Acabou que nunca fiz isso enquanto ele estava vivo. Gravei também a inédita "Nada de morrer", uma música escrita pelo meu filho, Joka Santana, que em breve se lançará no mercado musical", adianta Zé Tobias.

Zé Tobias não sabe citar ao certo qual seu melhor período entre tantos no mundo da música, mas se lembra com carinho de um festival em São Paulo, realizado em 1960, do qual saiu vitorioso depois de ir para a final competindo com Sílvio Caldas. Os anos em que passou se apresentando na televisão também estão na gaveta de boas lembranças, e foi por pouco que essas memórias não foram totalmente diferentes. O cantor, que no início da carreira se dividia entre a música e o futebol profissional, só largou os campos por um diagnóstico médico- que mais tarde foi constatado como um erro.

Zé Tobias

Nascido na periferia de Recife, em Pernambuco, e radicado em Niterói, José Tobias de Santana começou sua carreira aos 19 anos. Logo após a vitória de seu time de futebol contra o time da Rádio Jornal do Comércio de Recife, ele comemorou no chuveiro ao som de Marina, de Caymmi.

Ao ouvi-lo cantar, o programador da rádio Ubirajara Mendes, que tinha ido ao vestiário com a intenção de contratá-lo para o futebol da emissora, o convidou para ir até a emissora, uma das mais importantes do País naquela época.

Em 1950, Tobias faria suas primeiras gravações (ainda em 78 rotações), com arranjos e acompanhamento de Sivuca, para as músicas – até então inéditas – "Acauã" e "Chora Carrinho", de Zé Dantas. Trabalhou na na Rádio Jornal do Comércio e permaneceu até 1955, quando se mudou para Niterói. E com ele veio junto o instrumentista Sivuca.

Existem momentos na vida quase tão preciosos quanto a própria vida. Estar com Zé Tobias, frequentar sua intimidade e, consequentemente, ouvi-lo cantar e gravá-lo, fazem parte desses tempos prazerosos que o Criador nos oferta. Zé não é simples mente um intérprete raro e genial. Falar desse grave que continua nos impressionan do aos oitenta e nove anos; dessa possibilidade interpretativa moldada na fábrica dos lamentos doridos dos sertões pernambucanos ou, da trajetória retumbante desde que, nos anos cinquenta, pisou definitivamente nos palcos cariocas, é descrever o óbvio. Sentir-me honrado é conviver no dia a dia com um ser humano de tal enver gadura e com uma alma de tamanha luminosidade que clareia qualquer ambiente que adentre. Esse é o espirito de Zé Tobias. Na absoluta expressão Divina: Um homem! Agradeço a Deus pela oportunidade de, juntamente com Altay Veloso, concluir a concepção artística dessa obra. Zé, com o afeto dessa eterno irmão, Paulo Cesar Feital.

Altay Veloso, Zé Tobias e Paulo Cesar Feital. Clique para ampliar.



1

/

5

title.mp3

Artist name

Composer name


CD: Zé Tobias
Ano: 2017


Músicas

01. Pierrot (Joubert de Carvalho e Paschoal Carlos Magno)
02. Lábios que Beijei (J. Cascata e Leonel Azevedo)
03. Tocando em frente (Almir Sater e Renato Teixeira)
04. Fábrica de Orvalho (Altay Veloso e Paulo C. Feital)
05. Por causa dessa cabocla (Ari Barroso)
06. Nada de morrer (Joca Santana)
07. Poema pros olhos da amada (Paulo Soledade e Vinicius de Moraes)
08. Paixão de Dartagnan (Altay Veloso)
09. Bloco da solidão (Jair Amorim e Evaldo Gouveia)
10. Cidade Menina (Zé Tobias)


Ficha Técnica

Produção Artística: Paulo Cesar Feital
Direção Musical: Altay Veloso
Projeto Gráfico: Rosely Nantes e Raphael Rego
Fotografia: Leo Zulluh e Acervo Família


Ficha Institucional

PREFEITURA DE NITERÓI
Prefeito: Rodrigo Neves
Secretário Municipal de Cultura: Arthur Maia

FUNDAÇÃO DE ARTE DE NITERÓI
Presidente da Fundação de Arte de Niterói: André Diniz

NITERÓI DISCOS
Luís Otávio Torreão e Eri Galvão



Publicado em 10/09/2017