Da junção dos grupos paulistanos Metá Metá e Passo Torto se originou o grupo Encruza que se apresenta nesta quinta-feira, 12 de março, às 20h, com a participação especial do mestre Jards Macalé. Para além de sua importante colaboração em trabalhos de artistas como Elza Soares e Criolo, o Encruza deixou sua reconhecida marca estética na música popular brasileira produzida neste século.

Encruza é um núcleo de criação formado por Kiko Dinucci, Juçara Marçal, Marcelo Cabral, Rodrigo Campos, Romulo Fróes e Thiago França que se reuniu para apresentar ao público, além das características individuais dos trabalhos de cada um de seus integrantes, os pontos de interseção entre eles e seus muitos desdobramentos.

Jards Macalé

Nascido no bairro carioca da Tijuca, ao pé do Morro da Formiga, Jards Macalé cresceu rodeado de música: no morro, os batuques; no vizinho, Vicente Celestino e Gilda de Abreu; no rádio, Orlando Silva, Marlene e Emilinha Borba; em casa, os foxes, as valsas e as modinhas tocadas ao piano pela mãe e pelo acordeom de seu pai.

Com mais de 50 anos de carreira, um dos artistas mais genuínos que a música brasileira já produziu, Macalé é ainda hoje um dos artistas mais visitados pelas novas gerações, que procuram nele um exemplo de independência e originalidade, duas de suas maiores virtudes como artista. Macalé sempre teve um canal aberto para as diferentes formas de arte. Do amigo Hélio Oiticica ganhou o penetrável "Macaléia"; Nelson Pereira dos Santos o transformou em ator em "Amuleto de Ogum", e "Tenda dos Milagres". O poeta Waly Salomão tornou-se seu grande parceiro em obras-primas como "Vapor barato", "Mal secreto", "Anjo Exterminado". Outros parceiros como Capinam ("Movimento dos barcos"), Torquato Neto ("Let’s play that") e Duda Machado ("Hotel das estrelas") reforçam sua versatilidade como compositor.

Macalé também teve sua vida e obra retratada nos filmes "Jards Macalé - Um morcego na porta principal", de João Pimentel e Marco Abujamra, de 2008, e "Jards", de Eryk Rocha, de 2012, ambos premiados no Festival do Rio, além do curta "Tira os óculos e recolhe o homem", de André Sampaio.

O artista acaba de lançar seu novo álbum "Besta Fera" - um disco com repertório totalmente inédito - o primeiro em muitos anos e já apontado como um dos grandes lançamentos de 2019, onde ele apresenta a expressão exata de sua atualidade provocadora.


SERVIÇO

Data: 12 de março, quinta-feira
Horário: 20h
Ingressos: R$ 40,00 (inteira)

Local: Sala Nelson Pereira dos Santos
Endereço: Av. Visconde do Rio Branco, 880 - São Domingos
Telefone: 971 400 379


Tags:






Publicado em 28/02/2020

Junior Chicó leva seu StandUp Comedy à Sala Nelson Sexta-feira, 19 de abril
Sala Nelson recebe homenagem a "Rita & Raul" Sábado, 20 de abril
Débora Ondina faz tributo às damas negras do jazz e da bossa nova Quinta-feira, 25 de abril
Yuri Corbal lanla CD na Sala Nelson Sexta-feira, 26 de abril
O infantil Gato de Botas é atração no mês de abril Sábado e Domingo, 27 e 28 de abril
"Eu odeio Cássia Eller" é destaque na Sala Nelson Sábado e Domingo, 27 e 28 de abril
"O Homem Mais Inteligente da História" chega a Niterói Sexta-feira, 05 de julho
Memória: Adriana Calcanhotto inaugura Sala Nelson Pereira dos Santos ENCERRADA
Memória: Sala Nelson recebe Paulinho Moska e os Violões Fênix ENCERRADA