A apresentação, baseada em histórias reais de mães com filhos autistas, contará com sala de acolhimento, iluminação inclusiva, recurso de audiodescrição e interpretação de libras

Em comemoração ao Mês da Conscientização do Autismo, a Fundação de Arte de Niterói apresenta o espetáculo "ANAMNESE". O evento é gratuito e acontece sábado, dia 29 de abril, a partir das 16h, na Sala Nelson Pereira dos Santos. Mães de crianças atípicas vão dar luz às histórias e vivências de suas famílias. A apresentação contará com sala de acolhimento, iluminação inclusiva, recurso de audiodescrição e interpretação de libras.

A peça foca na realidade de mães que buscam por um mundo mais inclusivo. O espetáculo foi baseado em histórias reais que, em cena, serão interpretadas pelas próprias personagens que as vivenciaram. Fruto de rodas de conversa e um processo criativo pautado pela inclusão, a peça fala sobre situações desde a gestação, o nascimento e a descoberta do autismo, além das alegrias e preocupações que se fazem presentes. Direção, produção e roteiro ficaram a cargo de funcionários da FAN.

Fernando Brandão, músico e presidente da Fundação de Arte de Niterói, comentou sobre a sensação de concretizar essa iniciativa. "O ANAMNESE é um projeto que nos dá muito orgulho. Ele é fruto da Coordenadoria de Acessibilidade Cultural, um núcleo da Fundação que acabou de ser criado e pensa políticas públicas com foco na inclusão. Esse é o começo de uma promoção ampla e permanente de espetáculos teatrais de pessoas que trabalham na FAN e a nossa ideia é expandir isso para outros movimentos artísticos."

De acordo com Joel Vieira, Superintendente Cultural da Fundação, que também é pai de uma filha com autismo, "a ideia era oferecer para essas mães um espaço onde elas pudessem viver algo além da maternidade de um filho atípico. Pais de pessoas com autismo geralmente só são chamados para participar de terapia e palestras sobre essas questões. Nós queríamos ir além e levá-los para o teatro, trocar com o outro, fazer oficinas, cantar, dançar… enfim, colocar essas pessoas num outro lugar da luz". Além de Joel, Ivo Guedes e Cláudia Macedo, profissionais que também fazem parte da equipe da FAN, dividiram a direção e a produção do espetáculo.

Juli Costa, Coordenadora de Acessibilidade Cultural, compartilhou um pouco do processo para tornar ANAMNESE inclusivo desde a sua concepção à preparação da Sala Nelson para o público. "A peça foi pensada para e com mães atípicas e isso já é um ponto de partida muito importante. Nosso objetivo foi acessibilizar a própria interpretação do que existe no cotidiano dessas mães que, no sábado (29), estarão no palco. É uma grande alegria produzir esse recurso não só para o público autista mas também para cegos e para pessoas com baixa visão. Vamos conseguir promover, de fato, o acesso à cultura disponibilizando o recurso de audiodescrição, uma sala de acolhimento, a adaptação da iluminação e a interpretação da peça em libras".

Felipe Tauil, Diretor da Sala Nelson Pereira dos Santos, enaltece a importância da acessibilidade e explica como o equipamento se tornou "a casa da família atípica": "A Sala é um espaço pioneiro na questão da acessibilidade cultural. Foi um processo que teve início quando o Fernando Brandão era diretor da sala e demos continuidade. O resultado desse trabalho é que, hoje, nos tornamos uma referência em acessibilidade, não só para o público, como para artistas e expositores."

Lilian Pesavento, terapeuta, ativista e mãe de uma menina atípica, faz parte do elenco do espetáculo. "O ANAMNESE me ofereceu uma nova maneira de expressar e colocar os meus sentimentos. Tenho comentado muito com as outras mães: 'é a nossa chance de falar o que, muitas vezes, a gente engole, finge que não percebe e que magoa muito' ", comentou Lilian. De acordo com a terapeuta, por misturar arte e conscientização, essa iniciativa da Fundação oferece algo há muito batalhado por essa comunidade: "Uma das nossas maiores brigas é que os nossos filhos possam estar em qualquer lugar. A gente sente muita falta de voltar a frequentar cinemas, teatros e muitos outros ambientes que não são preparados para nos receber. O ANAMNESE é a realização do nosso sonho nesse sentido. Além disso, temos a esperança de que ele se expanda e sirva de inspiração para muitos projetos culturais".




Promover acessibilidade cultural vai muito além da inclusão de pessoas com deficiência e necessidades especiais. Essa iniciativa da FAN questiona: "quem cuida de quem cuida?". A partir dessa premissa, o ANAMNESE foi pensado para dar visibilidade para o autismo ao mesmo tempo em que foca nas mulheres e atrizes do espetáculo além dos seus papéis enquanto mães de filhos atípicos.

Emanuelle Rocha, uma das participantes, mãe de uma criança atípica e responsável pela Casa Atípica, comentou sobre a sua experiência com a peça. "Tudo foi inovador e gostoso demais de sentir. Nós, mães atípicas, não temos tempo pra gente. Então, o teatro, enquanto essa arte maravilhosa que é, trouxe um momento de respiro. Além disso, esse espetáculo é uma oportunidade de extravasar choro, dor, vergonha e outros assuntos que guardamos no coração e aparecem na peça. Tudo isso a gente conseguiu botar no palco.

No dia do espetáculo, haverá uma exposição de arte "TEAmar: visões de quem convive com o autismo" com obras de Priscila Muros, Fernanda Dalles e Kalenna Brabo e a Exposição: Superando as dificuldades do Autismo através da Arte com obras da Babi SuperArte. Haverá, também, venda do livro "Querida Mãe Atípica", de Chris Fonseca.


Serviço

Evento: espetáculo ANAMNESE
Data: Sábado, 29 de abril de 2023
Horário: 16h
Evento gratuito
Classificação indicativa: Livre

Local: Sala Nelson Pereira dos Santos
End.: Av. Visconde do Rio Branco, 880 - São Domingos, Niterói








Publicado em 26/04/2023

Junior Chicó leva seu StandUp Comedy à Sala Nelson Sexta-feira, 19 de abril
Sala Nelson recebe homenagem a "Rita & Raul" Sábado, 20 de abril
Débora Ondina faz tributo às damas negras do jazz e da bossa nova Quinta-feira, 25 de abril
Yuri Corbal lanla CD na Sala Nelson Sexta-feira, 26 de abril
O infantil Gato de Botas é atração no mês de abril Sábado e Domingo, 27 e 28 de abril
"Eu odeio Cássia Eller" é destaque na Sala Nelson Sábado e Domingo, 27 e 28 de abril
"O Homem Mais Inteligente da História" chega a Niterói Sexta-feira, 05 de julho
Memória: Adriana Calcanhotto inaugura Sala Nelson Pereira dos Santos ENCERRADA
Memória: Sala Nelson recebe Paulinho Moska e os Violões Fênix ENCERRADA