Viajando por questões reais contemporâneas e históricas, a artista visual carioca, preta e periférica A. Shakti inaugura na sexta-feira, 08 de março, a exposição "Ótica Negra Feminina - Arte e Expressão Periférica", na Biblioteca Parque de Niterói.

Cada tela é uma narrativa viva, contada através de cores vibrantes, retratando a natureza, pessoas, estruturas e pinceladas expressivas. Agni Shakti utiliza sua paleta de cores livremente, misturando seus tons, captando não apenas a essência da negritude, mas também a complexidade das emoções humanas e a riqueza da Simbolismos e Paralelos Culturais.

As obras apresentadas estão imbuídas de simbolismos e paralelos culturais que se entrelaçam com feminilidade. Cada detalhe, seja padrões geométricos e os elementos naturais, carrega significados profundos, celebrando o dar voz à seu imaginário, não vazio de realidade. Cada tela é mais do que uma representação artística, é um conto visual, com simbolismos e paralelos, que ecoam as histórias e elementos, que não se atém a padrões.

A mostra revisita algumas obras icônicas, reinterpretando-as de maneira criativa e provocativa. Suas releituras são um convite à reflexão, desafiando as percepções tradicionais e oferecendo novas interpretações que ressoam com a realidade contemporânea. Cada tela é um ponto de partida para um diálogo. A. Shakti usa arte como uma plataforma para celebrar a resiliência, a resistência, protesto e a vitalidade, incentivando o público a reconhecer e valorizar a contribuição da cultura negra, indígena, popular e social, sem restringir-se apenas.

"Me divirto criando, minha arte traz reflexões em narrativas coloridas, com perspectivas, dimensões e formas, sem rótulos e fora da caixa. A cada insight criativo, está impresso a minha identidade e brasilidade. Atores notórios e anônimos, sem me privar de novas narrativas e temas nacionais ou mundiais. Retrato os espaços e situações inserindo minha negritude negros e explorando posições protagonista", conta a artista.

Por meio de suas narrativas, a artista projeta a chamada "Arte Naif", a qual chama de Orgânica e Periférica, diminuindo a distância entre grupos sociais. "A arte é para ser difundida e não separada com rótulos e como produtos em setores como em um supermercado. Sem distinção de classes".

Em "Ótica Negra Feminina - Arte e Expressão Periférica", cada espectador é convidado a se ver nas histórias e a encontrar paralelos em suas próprias experiências e a celebrar a beleza da diversidade. É um convite à empatia, ao entendimento e à celebração da riqueza da cultura.


Serviço

Exposição: "Ótica Negra Feminina - Arte, Brasilidade e Expressão Periférica"
Datas: De 08 a 19 de março de 2024
Horário de funcionamento: Terças às sextas das 10h às 17h - Sábados das 10h às 15h
Classificação indicativa: Livre
Evento Gratuito

Biblioteca Parque de Niterói
Praça da República, s/n - Centro, Niterói


Tags:






Publicado em 05/03/2024