(Memória, 27 de dezembro de 1987)

Imagine-se num lugar sossegado, sentado na varanda de um casarão do século passado, rodeado de muito verde, saboreando um delicioso suco de frutas naturais. Este sonho pode tornar-se realidade, basta visitar o Solar do Jambeiro, na Rua Presidente Domiciano, 195, no bairro de São Domingos.

Em 1860, o português Bento Joaquim Alves Pereira mandou construir o Solar para quando viesse morar no Brasil com a família, este já estivesse pronto. Alves Pereira foi tão perfeccionista que mandou esculpir em gesso seu rosto no teto do salão principal e num dos lavatórios da sala de jantar. O primeiro a habitar a casa foi o médico Júlio Calvet, depois o pintor Antonio Parreiras fez dali seu ateliê.

Em 1892, o dinamarquês George Bartholdy comprou a casa e a decorou com muito luxo, pois Bartholdy era diplomata e nas suas viagens sempre trazia peças raras. Em 1972 o Solar do Jambeiro foi tombado pelo Património Histórico e Artístico Nacional que cuida da manutenção da casa. Mas os responsáveis pelo zelo e projetos culturais do Solar são seus atuais proprietários, o casal Hugo Einer Egon Falkenberg (descendente de Bartholdy) e Lúcia Falkenberg. Aberto este ano para visitação pública - somente com convites - e exposições, o Solar reúne uma grande quantidade de antiguidades de épocas diferentes.

Presidente do Pró-Niterói, uma sociedade sem fins lucrativos, Lúcia Falkenberg conta com o apoio de várias personalidades (do Rio e de Niterói) para levar a frente seu projeto de automatização do Solar. Há também uma equipe de jovens que foram contratados para mostrarem a casa aos visitantes, além de seguranças e antigos empregados. Isto porque o acervo da casa é preciso por sua história e tradição.

Tombado pelo patrimônio histórico, o Jambeiro mantém intacta sua imponente arquitetura
Ano que vem, o Solar será o novo ponto de encontro cultural de Niterói, pois suas portas serão definitivamente abertas ao público. Lúcia Falkenberg já tem em sua agenda de 1988 vários eventos organizados. A partir de março, estão confirmadas as visitas de grupos de turistas estrangeiros e brasileiros. Eles vão passar a tarde visitando o Solar e farão um lanche que tem no seu cardápio biscoitos, chá e doces (ainda preparados nos tachos de cobre).

Quem quiser poderá passear pelo jardim (a área tem 7 mil metros quadrados) onde há mangueiras, jaboticabeiras, jambeiros, pitangueiras e outros frutos saborosos. Os grupos podem ser de 4 a 50 pessoas e devem marcar hora com antecedência pelo telefone 722 4550.

Outra programação para junho de 1988, será um desfile retrospectivo de vestimentas antigas, de 1850 até atualmente, inclusive com a presença de carruagens e cavalos com adornos de época. Já confirmado estão vários concertos, tais como: orquestra da UFF, Maria Lúcia Godói e grupos de música clássica. Há também programado um sarau com um bom pianista -ainda a escolher - e garçons vestidos a caráter com decoração da época. Os pintores também não foram esquecidos, estão nos planos deste projeto exposições de artistas conhecidos e de novatos. Para abril, está confirmada uma exposição de pedras preciosas brasileiras.

O Pró-Niterói também pretende convidar cientistas e escritores estrangeiros para se hospedarem no Solar (o qual é sede provisória do Pró-Niterói) e conhecerem os pesquisadores e escritores brasileiros, enfim seria um intercâmbio cultural, explica Lúcia Falkenberg.

Além desta variada programação, o visitante sempre vai encontrar acervo permanente do Solar do Jam beiro que conta com peças dos séculos XVII e XVIII. Uma destas peças é o pêndulo francês do século XVIII, que está no salão principal. Há também pratarias francesas, portuguesas e inglesas.

Outra atração é o próprio Solar com 11 quartos e dois andares. Toda a fachada é de azulejos portugueses e de telhas feitas pelos escravos a mão. Na cozinha ainda se usa o forno a lenha e as panelas de cobre. O tanque de lavar roupa é de granito e os lavatórios são ingleses (Twyfords) original. Ainda estão expostos telefones antigos, ferros a carvão e uma banheira usada para "pequeno banho".

Nos meses de janeiro e fevereiro o Solar estará fechado para reformas, mas a partir de março estará aberto de 3ª a domingo, de 15h às 19h.


Tags:






Publicado em 04/05/2021

Lucilia Dowslley comemora 25 anos do "Um brinde à Poesia" Quinta-feira, 23 de maio
Paulo Pereira apresenta "Mandando a Letra" no Solar do Jambeiro Sábados, 18 e 25 de maio
Jourdan Amora é o convidado do Fórum Memória do Jornalismo Quarta-feira, 29 de maio
Solar do Jambeiro: Histórico Leia mais ...