(Memória, 17 de outubro de 1987)

Obras inéditas de Antonio Parreiras serão apresentadas ao público.

"Você nunca mais nesta vai poder ver isto, a não ser nesta oportunidade." A frase de Christina Jorge, coordenadora da exposição "Antonio Parreiras 100 Anos", a ser realizada neste sábado, 17, a quinta, 22, no Solar do Jambeiro, em São Domingos, ilustra bem o caráter inédito do evento.

Serão expostos 25 quadros - nunca antes reunidos - de autoria do pintor, hoje pertencentes a colecionadores particulares e ao acervo do Museu Nacional de Belas Artes; além disso, serão realizadas palestras e exibido um filme - tudo em função de Parreiras.

Ao lado de Christhiane Martins Romeo, à esquerda, Christina Jorge, diretora do Centro Cultural Paschoal Carlos Magno e Coordenadora da exposição "Antonio Parreiras 100 anos", recebe os convidados.
A programação tem caráter comemorativo: há 100 anos completados em maio - Antonio Parreiras, morador no Solar do Jambeiro, realizou ali uma exposição de exatos 25 quadros. "O Solar, naquela época, abrigava vários artistas e intelectuais, numa espécie de pensão", conta Christina. "Os 25 quadros expostos por Parreiras, naquela ocasião, foram logo vendidos, todos. As obras que reunimos para esta mostra não são aquelas de 1887, mas nosso objetivo é fazer uma homenagem a ele, mostrando uma parte da sua pintura".

Christina diz que a ideia da organização do evento surgiu a partir de uma pesquisa feita em jornais da época, na qual apareceu a notícia da vernissage de Parreiras, há 100 anos. Ela promete os dados curiosos para os visitantes. Uma das atrações será o quadro de cinco metros por dois, "Panorama da Baia de Guanabara", premiado na Europa e jamais exposto no Brasil. A obra pertence ao marchand Maurício Pontual.

Além dos quadros, os visitantes poderão assistir a duas palestras e a um filme sobre Parreiras: na segunda-feira, 19, Israel Pedrosa falará sobre a obra do pintor, segundo seu ponto de vista, às 18h30min; na terça, 20, será exibido o filme "As Sertanejas", de Eliseu Visconti, seguido de explanações de Maurício Pontual, também às 18h30min; e na quarta, 21, no mesmo horário, quem falará sobre Antonio Parreiras será o pintor Quirino Campofiorito. "O visitante terá seu ingresso marcado, de forma a poder voltar ao Solar do Jambeiro para assistir ao filme e às palestras", adianta Christina Jorge. Ela informa que o evento tem à frente o Colégio Fluminense de Cultura e Patrimônio Pró-Niterói, presidido por Lucia Falkenberg, proprietária do Solar, onde está sediada a entidade.

A exposição de Parreiras tem o apoio cultural do Moinho Fluminense S.A., que também comemora 100 anos de existência em 1987. Os ingressos, a CZ$ 100,00, podem ser adquiridos no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, no Campo de São Bento, das 14 às 18h; na EDUFF, à Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí; ou no próprio Solar do Jambeiro, à Rua Presidente Domiciano, 195, São Domingos, das 10 às 18h.
Por Júlio Costa para o Jornal do Brasil

Nota: O pintor Antonio Parreiras já havia realizado exposições individuais antes desta citada de 1887, na Casa da rua Presidente Domiciano, onde morou até partir para sua temporada na Itália. A primeira mostra do pintor foi realizada em 1883, na casa da rua Santa Rosa, onde morava com sua mãe.





Publicado em 06/05/2021
Solar do Jambeiro apresenta 9° ciclo de leituras dramatizadas Quinta, 30 de junho
"Brinque Lendo" acontece no jardim do Solar do Jambeiro Sábado, 02 de Julho
Solar do Jambeiro recebe um "Piquenique Literário" Domingo, 03 de Julho