O gaúcho Pedro Pires foi diretor da Companhia de Ballet da Cidade de Niterói, além de ter realizado atividades nas funções de bailarino, ator, coreógrafo, diretor, figurinista e cenógrafo.

Iniciou seus estudos de ballet em Porto Alegre, em 1980, aos 16 anos, com Tony Seitz Petzhold e Walter Arias, participando dos Grupos de dança Terra e Phoenix. Em 1983, ingressou no Ballet Teatro Guaíra, sob direção de Carlos Trincheiras e Izabel Santa Rosa.

Em 1984 ganhou bolsa de estudos do Ballet Glbenkian em Lisboa/Portugal onde teve como mestres Jorge Salavisa, Carlos Caldas e Ulrike Caldas. De Lisboa, pra Paris, Pires estudou com Raymond Franchetti e Yves Cassati, permanecendo no Ballet Guaíra por 10 anos, como solista. Chegou a dançar todo o repertório da Cia, em coreografias assinadas por Carlos Trincheiras, Rodrigo Pederneiras, Milko Sparemblek, Bernd Shindowski, Olga Roriz, Clyde Morgan, Tatiana Leskowa, Luiz Arrieta, entre outros renomes do estilo bailarino, além de repertório clássico, representado em obras como Gisele, Quebra Nozes, Dom Quixote e Raymonda.

Participou do Ateliê Coreográfico do BTG, em todas as edições desde o seu ingresso até sua saída da Cia, onde foi diversas vezes premiado, como coreógrafo, figurinista e cenógrafo. Foi um dos bailarinos fundadores do Balé de Diadema, onde trabalhou com Ivonice Satie e Sandro Borelli, somado ao elenco da F. Bujones Brasil, coreografando para o G2 (companhia Sênior do Balé Guaíra). Fundou a Rua das Flores Teatro-dança, onde produziu e dirigiu espetáculos de dança-teatro e dança contemporânea. Ainda em Lisboa, foi professor de “Movimento e concentração” na Arte 6 escola de televisão e cinema, e professor de Gyrotonic Expansion Sistem.

Em setembro de 2012, se tornou diretor da Companhia de Ballet da Cidade de Niterói.







Publicado em 10/08/2013
Museu Antônio Parreiras