Poeta, compositor, escritor e analista de sistemas, Waldyr Argento Junior nasceu em Bom Jesus do Itabapoana (RJ), antes de se mudar para Niterói aos 11 anos de idade. Recebeu seus primeiros aplausos tocando e cantando no Festival de Música do Colégio Salesiano, em Santa Rosa – Niterói, com a banda de rock Alta Voltagem, para visitantes e familiares.

Seus principais incentivos artísticos se manifestaram na área musical – depois de assistir a diversos shows de colegas músicos realizados no bairro do Ingá, em Niterói – e na área poético-literária, através de participações em serenatas em sua cidade natal assim como da leitura de livros de poesias e crônicas em geral.

No final de 2003, gravou o CD “Violão e Voz”, na Tomba Records – Santa Rosa, Niterói e, em 2005, fez parte do CD de Carnaval da Casa do Compositor Musical. Ainda na área musical, chegou a participar da banda A Ponte como cantor de MPB. Produziu canções em parceria com David Paiva, Jorge Costa Filho, Silvio de Carvalho, Anderson França, Jansen Félix e Dudu Fagundes, também conhecido como “O Maestro das Ruas”.

Apresentou-se em diversos locais como Rio Scenarium e Centro Cultural Memórias do Rio, entre outros, além de ter diversas obras musicais tocadas em rádios como Rádio Nacional AM, Rádio Carioca AM e Rádio MEC.

Já no âmbito literário, em 2004, obteve menções honrosas no 6º Concurso Nacional de Poesias "Poeta Nuno Alvaro Pereira”, da Editora Valença S. A., com as poesias “Amo-Te” e “Terra”. Com a poesia “Vento Andarilho”, recebeu o quarto lugar no concurso de poesia a nível nacional da I Fliporto – Festa Literária Internacional de Pernambuco, em 2005, em Porto de Galinhas, organizado pela UBE – PE (União Brasileira de Escritores), sendo a comissão julgadora composta pelo poeta Vital Araújo (UBE-PE), pela profª.

Nelly Carvalho (UFPE) e pelo poeta e jornalista Arnaud Mattoso (Folha de Pernambuco).

Também em 2005, obteve quinto lugar no IV Prêmio Brito Broca de Literatura de Guaratinguetá (SP), na categoria Contos, com o texto “O Portal Mágico” e, em 2006, teve menção honrosa no Concurso Internacional IFEC de Poesias com o poema “Progressão Geométrica”. No mesmo ano, chegou a quarto lugar no XI Festival Farmath de Poesias, com o poema “Quem me Dera”.

Participou de quatro antologias no ano de 2003: “Mosaico”, com a poesia “Cores” – II Seletiva de Poesias Contos e Crônicas de Barra Bonita - Clube Amigos das Letras; “Antologia 20”, com a poesia “Soneto Sem Fim” – Painel Brasileiro de Novos Talentos; “Retratos de Mãe”, com a poesia “Menino Sem Sonhos” I Desafio 2003, Tema: “Mãe. Mãe? Mãe!” – Clube Amigos das Letras; e “Anjos de Prata – Vol. IV”, com o conto “Tonico Lavajato”. Em 2004, participou das antologias “AVBL – 1ª Antologia Poética”, com as poesias “Verso?” e “Por Ti”, e “Pelos Caminhos da Paixão”, da Editora Litteris Ltda (RJ), com a poesia “Xadrez”. Nos anos seguintes, participou de diversas outras antologias.

Chegou a ser membro correspondente da Academia Cachoeirense de Letras (ACL) e, em 2015, lançou o livro solo de poesias “Asas”, pela Editora Abrali, que acompanhou CD homônimo, produzido pela PMCD Produções (RJ).






Publicado em 13/09/2013
Museu Antônio Parreiras