Nascido na cidade de Magé (RJ), mas radicado em Niterói, o saxofonista e flautista Tino Júnior se destacou de modo significativo no cenário musical do Rio de Janeiro, com seu fraseado pessoal e um bonito e suave som de saxofone.

Tino começou a estudar música com oito anos, iniciando primeiro no Piano Clássico e Violão Popular. Estudou Saxofone com Idriss Boudrioua e Harmonia Funcional com Alexandre Carvalho e Vitor Santos, além de ser bacharel em Saxofone pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - URFJ.

Participou de shows e gravações com vários artistas do cenário instrumental, como: Roberto Rosemberg, Arthur Maia, Idriss Bodrioua, Pascoal Meirelles, Jota Moraes, Jamil Joanes, Alex Malheiros, Márcio Bahia, Meirelles e os Copa Cinco, entre outros. Chegou a integrar o quarteto do baixista Adriano Giffoni e o grupo “Swingueira 4”.

Atuou como "sideman" de diversos artistas de renome na MPB, como Elza Soares, Alcione e Fafá de Belém, além de ter feito parte de diversos festivais de Jazz no Brasil e no exterior. Além disso, chegou a participar do um longa-metragem de ficção com motivação musical "Os Desafinados", de Walter Lima Jr.

Primeiro trabalho solo de Tino Júnior, "Jeito Latino", lançado em 2010 pelo selo Niterói Discos, é totalmente autoral e apresenta um repertório de dez composições (cujos arranjos são também de Tino). Em "La-Tino Blues" e "Gigante no Samba", os destaques ficam para a cozinha formada por Arthur Maia (baixo) e Di Stéffano (bateria); a guitarra de João Castilho, o baixo de Alex Rocha e a bateria de Márcio Bahia estão presentes em "Dia de Verão" e "Pequena Flor".






Publicado em 0000-00-00
Museu Antônio Parreiras