Digam o que quiser, a Revolução Cubana é um dos marcos da história contemporânea. Não só um marco histórico, mas também um acontecimento que encantou, fascinou e envolveu milhares de pessoas por todo o mundo. Em 19 de abril de 1959, com a derrocada de governo de Batista, Cuba se transformava em primeiro país socialista na América e passava também a fazer parte dos sonhos idealistas de muitos jovens por todo o mundo.

E até hoje a data é comemorada. Não só em Cuba, mas por todos aqueles que ainda acreditam num mundo melhor. A partir desta quarta-feira, 23 de junho de 1999, a cidade de Niterói entra nesta festa, com a abertura do evento "Cuba: 40 anos de Revolução", que compreende um ciclo de palestras, o recital com o pianista cubano Jorge Luis Prats e a exposição fotográfica "Cem imagens da Revolução Cubana", que fica em cartaz até o dia 23 de julho, no Museu de Arte Contemporânea de Niterói.

A mostra - baseada no livro homônino (Cien Imagenes de la Revolucion Cubana) de Abel Prieto, atual ministro da Cultura de Cuba - é composta por fotos de Oswaldo Salas, Luiz Korda, Alberto Díaz e Raul Corra, entre outros. "Graças a esses fotógrafos podemos admirar uma vez mais a magnitude épica da luta cubana contra o impossível e a estatura de nossos heróis, e a de tantos homens e mulheres, de três ou quatro gerações, que estão levantando juntos a resistência da ilha, sua integridade moral e sua obstinação", escreveu Prieto em seu livro.

Como diz o Instituto Cubano do Livro responsável pela 1" edição, em Havana, 1996, todas as fotos agora apresentadas constituem um testemunho inquestionável dos momentos importantes da história de Cuba durante os últimos 45 anos. Claramente, haveriam dezenas de outras também dignas de expor no museu, mas razões editoriais limitaram o total a 100 fotografias. A presente antologia fotográfica deve ser considerada como uma primeira exposição, o primeiro passo de um processo em plena continuidade na direção do grande objetivo de documentação a que se propõem os autores e instituições responsáveis.




A mostra começa com uma foto feita em 1º de agosto de 1953, no centro de Santiago de Cuba. Nela um jovem Fidel Castro aparece à frente de uma pintura de José Martí, líder e mártir da guerra de independência. A última imagem, datada e 1º de maio de 1996, retrata a Praça da Revolução, em Havana, onde uma multidão de aglomera para comemorar o Dia do Trabalho.

Atuando por vezes como fotojornalistas, estes profissionais das câmeras registraram importantes momentos da história de Cuba, como o desfile de 1º de maio de 1980, onde mais de um milhão de cubanos de reuniram em frente a antiga embaixada norte-americana, na manifestação conhecida como a "Segunda marcha do povo combatente"; as visitas oficiais de Fidel Castro em La Paz, Montevidéu, Vietnã do Sul. Como não poderia deixar de ser, Che Guevara, o grande ícone desta história também aparece em várias imagens, em momentos de atuação política ou mesmo em cenas de descontração.

Mas o grande protagonista desta história é o povo cubano, e para ele os fotógrafos voltaram suas lentes com um carinho e poesia originais. Assim, as imagens retratam a ternura de uma miliciana de uniforme carregando seu filho no colo ou a diversão de um revolucionário, brincando com seu companheiro prestes a integrar uma frente de batalha. Outros registros mostram a força da Revolução em outros aspectos, mas não menos importantes, como a educação, a cultura, o esporte e a saúde.

Confira o Catálogo da exposição


Serviço

"Cem Imagens da Revoluação Cubana"
Local: Salão Principal
Abertura: 23 de junho de 1999
Visitação: 23 de junho a 22 de agosto de 1999

Museu de Arte Contemporânea - MAC
Endereço: Mirante da Boa Viagem, s/n – Niterói RJ
Informações: 21 2620 2400 / 2620 2481


Tags:






Publicado em 21/05/2016

MAC apresenta 'Cinco convites a um levante', de Alex Frechette De 02 de março a 12 de maio de 2024
MAC como Obra de Arte ENCERRADA
Ocupações/Descobrimentos Antonio Manuel e Artur Barrio ENCERRADA
Arte Contemporânea Brasileira Coleções João Sattamini e MAC de Niterói ENCERRADA
Detalhes e iluminação que fazem a diferença no trabalho de Magno Mesquita Leia mais ...
No MAC Niterói, "Visões e (sub)versões - Cada olhar uma história" ENCERRADA
Estratégia: Jogos Concretos e Neoconcretos ENCERRADA
Exposição "A Caminho de Niterói", no Paço Imperial ENCERRADA
Exposição '!Mirabolante Miró!' no MAC Niterói ENCERRADA