Como parte das comemorações do primeiro aniversário do Museu de Arte Contemporânea de Niterói ("MAC 1 Ano"), de 30 de setembro a 30 de novembro de 1997 o Museu apresenta a mostra "Entre Esculturas e Objetos", com obras da coleção Sattamini. A mostra coletiva, que ocupa o Mezanino do MAC, conta com a curadoria de Luiz Camillo Osório.

A exposição problematiza a questão da escolha do suporte da obra na arte contemporânea, revelando as múltiplas possibilidades poéticas assumidas pelo "campo escultórico". Luiz Camillo Osorio, diretor de Teoria e Pesquisa do museu, reuniu os artistas Farnese de Andrade, Frans Krajcberg, Hilton Berredo, Jorge Barrão, Jorge Duarte, Marcos Cardoso, Nelson Félix, Sérgio Romagnolo, Ione Saldanha, João Carlos Goldberg, Joaquim Tenreiro e Tunga. Com obras inéditas da Coleção, o objetivo é estimular ainda mais o universo crítico dos visitantes e dar continuidade a tarefa de informar e discutir a arte contemporânea brasileira.





por Luiz Camillo Osório

Seja pela circulação, seja pela indeterminação, "entre esculturas e objetos" é uma mostra que transita no intervalo, no espaço ainda não determinado da arte contemporânea. Esta pequena mostra da coleção Sattamini revela as múltiplas possibilidades poéticas assumidas pelo "campo escultórico" neste final de século.

Desde Marcel Duchamp, as noções de sujeito e objeto de arte estão em constante redefinição. A atitude diante das obras nunca mais foi a mesma, e o estranhamento é a regra. Mas o que vem a ser o objeto e o que o diferencia em relação a escultura? Será o objeto diferente da escultura ou uma de suas possibilidades?

A escultura, tradicionalmente, é uma intervenção sobre a matéria em busca de uma forma. Os objetos são coisas do mundo reapropriadas e reinventadas pelo artista. São estranhos, engraçados e desconcertantes. Ora exploram a ironia pop, ora a causticidade dada. Muitas vezes são críticos, outras vezes cínicos. Eles sempre exigem do espectador disponibilidade para jogar com a visualidade do mundo, para imaginar o inusitado, o que não está, normalmente, diante dos nossos olhos.

Pelo rigor formal da escultura e pelo comentário visual dos objetos percebemos o esforço incessante da arte em recriar simbolicamente o mundo, em dar-lhe novos sentidos através da ação imaginante do espectador. Pela imaginação criamos a ordem e a desordem (positiva) das coisas, e tanto uma quanto a outra, a ordem e a desordem da forma e do mundo, estão aí entre esculturas e objetos.

"O problema do objeto, como é invocado na arte contemporânea, traz em si uma contradição: é a liberação criadora que resulta da superação do quadro e da escultura tradicionais mas é, ao mesmo tempo, uma tentativa da criação de uma nova categoria, que seria tão acadêmica e tradicional quanto as anteriores." Helio Oiticica

"Se não há mudança de imagens, união inesperada de imagens, não há ação imaginante." Gaston Bachelard




Serviço

"Entre esculturas e Objetos", coletiva
Curadoria: Luiz Camillo Osório
Abertura: 20 de setembro de 1997
Visitação: 20 de setembro de 1997 a 25 de janeiro de 1998

Museu de Arte Contemporânea - MAC - Mezanino
Endereço: Mirante da Boa Viagem, s/n - Niterói
Informações: 21 2620 2400 / 2620 2481


Tags:






Publicado em 15/08/2023

MAC apresenta 'Cinco convites a um levante', de Alex Frechette De 02 de março a 12 de maio de 2024
MAC como Obra de Arte ENCERRADA
Ocupações/Descobrimentos Antonio Manuel e Artur Barrio ENCERRADA
Arte Contemporânea Brasileira Coleções João Sattamini e MAC de Niterói ENCERRADA
Detalhes e iluminação que fazem a diferença no trabalho de Magno Mesquita Leia mais ...
No MAC Niterói, "Visões e (sub)versões - Cada olhar uma história" ENCERRADA
Estratégia: Jogos Concretos e Neoconcretos ENCERRADA
Exposição "A Caminho de Niterói", no Paço Imperial ENCERRADA
Exposição '!Mirabolante Miró!' no MAC Niterói ENCERRADA