"Modernidade transitiva" é o nome da exposição que estará aberta ao público, a partir do sábado, 06 de março de 2004, no Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC). Elaborada a partir da Coleção João Sattamini, a mostra, instalada no mezanino do museu, exibe uma seleção de obras representativas das décadas de 1940 e 50, que reúne nomes como Lygia Clark, Samson Flexor, Firmino Saldanha, Iberê Camargo, Ione Saldanha, Lívio Abramo e Maria Leontina, entre outros. A visitação fica aberta até o dia 30 de maio.

O curador da mostra, Guilherme Bueno, explica que o período - entre o final dos anos 40 e o início dos 50 - foi importantíssimo para a cultura brasileira, já que ocorreu transformações decisivas. "Os anos 40, inicialmente, prenunciam, e em seguida testemunham, a afirmação das correntes concretistas e informais no Brasil. O País viverá uma série de debates e polêmicas decorrentes do ingresso mais incisivo da abstração. A cena artística presencia a um só tempo, as divergências internas dos grupos abstracionistas, a oposição das figuras provindas do modernismo da Semana de 1922 e dos anos 30, e a permanente imobilidade do academicismo, ainda detentor de certo poder institucional".

A Coleção Sattamini, segundo o curador, é importante também porque mostra o momento em que a arquitetura moderna brasileira triunfa mundialmente. "Podemos observar os primeiros esforços de alguns artistas em torno da constituição de um vocabulário abstrato, cujos resultados fornecerão posteriormente as bases de suas vinculações ao movimento concreto ou a abstração lírica e informal, período limiar desta mostra", argumenta.

De fato, ao atentar para as discussões deste momento, pode-se notar a disputa entre modelos de modernidade. "Existe o conflito entre diversos projetos que, em seu sentido mais profundo, colocam em jogo, mais do que uma ideia de arte brasileira, o próprio papel desta atividade na construção do País, algo, de certo modo, ainda emblemático para nossas experiências contemporâneas e nossa recente história da arte. A proposta é mapear esse caldeirão de ideias e mostrar que o conceito de moderno não é nada homogêneo e tem diversas correntes de pensamento", diz Bueno.

Artistas: Aldo Bonadei, Aluisio Carvão, Anna Bella Geiger, Antônio Maluf, Arthur Piza, Arcangelo lanelli, Flávio Shiró, Firmino Saldanha, Hélio Oiticica, Iberê Camargo, Inima de Paula, lone Saldanha, Ivan Serpa, Judith Lauand, Livio Abramo, Lygia Clark, Lothar Charoux, Maria Leontina, Franco da Costa e Samson Flexor.


Serviço

"Coleção Sattamini - Modernidade Transitiva", coletiva
Curadoria: Guilherme Bueno
Abertura: 06 de março de 2004
Visitação: 06 de março a 30 de maio de 2004

Museu de Arte Contemporânea - MAC - Mezanino
Endereço: Mirante da Boa Viagem, s/n – Niterói RJ
Informações: 21 2620 2400 / 2620 2481


Tags:






Publicado em 28/08/2023

MAC Niterói abre exposição em homenagem às trabalhadoras do mar De 09 de março a 16 de junho
MAC Niterói aborda jornada pela busca ancestral dos Guarani De 08 de junho a 04 de agosto
'Luzes da Coreia - Festival de Lanternas de Jinju' chega ao MAC Niterói De 9 junho a 25 de agosto
MAC como Obra de Arte ENCERRADA
Ocupações/Descobrimentos Antonio Manuel e Artur Barrio ENCERRADA
Arte Contemporânea Brasileira Coleções João Sattamini e MAC de Niterói ENCERRADA
Detalhes e iluminação que fazem a diferença no trabalho de Magno Mesquita Leia mais ...
No MAC Niterói, "Visões e (sub)versões - Cada olhar uma história" ENCERRADA
Estratégia: Jogos Concretos e Neoconcretos ENCERRADA