Criado pelo decreto municipal nº 2108/74, pelo então prefeito Ivan Fernandes de Barros, projetado pelo arquiteto Luiz Henrique Monassa Bessil e inaugurado a 13 de março de 1975.

A idéia da construção surgiu em meio às comemorações pelo Quarto Centenário da Cidade de Niterói, em 1973. Paschoal Carlos Magno era o presidente da Comissão dos Eventos Comemorativos, e o sucesso dos festejos animou o prefeito a construir em Niterói um Centro Cultural.

O Centro Cultural Paschoal Carlos Magno dispõe de instalações para administração e guarda de acervo, cozinha, banheiros, uma galeria e uma sala para exposições e um parque escultório, ao ar livre. Encravado no Campo de São Bento, ocupa o local onde ficava a residência do zelador do parque, e suas linhas arrojadas dão a impressão de ser uma imensa escultura.

O CCPCM tem como componentes principais a Galeria Quirino Campofiorito, no térreo, com paredes de vidro que protagoniza o espaço voltado para a Av. Roberto Silveira e a rua Lopes Trovão, além da Varanda que abriga desde lançamento de livros ao já consagrado “Música no Campo”. O segundo andar é composto pela Sala Hilda Campofiorito para exposições, cursos, palestras, exibição de filmes ou vídeos e o terraço, que serve de cenário para variadas atividades.








Publicado em 10/06/2013