Clique na imagem para ampliar
Frederico Arêde é artista plástico, pesquisador e atua nos campos da pintura, da fotografia e no híbridismo resultante do diálogo entre essas duas linguagens. Atualmente Arêde conclui o Curso de Bacharelado em Pintura pela Escola de Belas Artes [UFRJ] e desenvolve sua poética dentro de questões que envolvem reflexões sobre corpo, identidade, sexualidade e suas diferentes formas de consumo.

Arêde expõe suas recentes pinturas a óleo sobre madeira em diferentes formatos, que vão de material descartado a compensados novos, nas quais nos convida a ver o corpo feminino, sempre nu e exposto ao voyerismo, em sua profunda intimidade, despido de barreiras morais e protetoras, alvo do julgamento alheio. Sua poética é direta, objetiva, mas de reflexão para além da imagem superficial do corpo, possuindo intrincada simbologia construída por processo pictórico não menos complexo.

Retratar o nu feminino é sempre tarefa de difícil execução por estar atrelada à ampla e densa carga simbólica, sociológica e artística com milênios de anos de trajetória e já explorada exaustivamente. No entanto o artista foi cauteloso ao pintar, nos guiando entre os signos da sua poética que compreende o frágil limiar entre campos simbólicos que oscilam entre abordagens de tão diferentes naturezas: das atitudes políticas ao mero exibicionismo, do rebuscado ao clichê, do kitsch ao arquitetado e do proibido ao permitido.

Clique nas imagens para ampliar


Arêde age com consciência nesse terreno minado, nos fala da representação da mulher na sociedade contemporânea e de formas específicas de como ela ocorre, sobre valores e atitudes que cercam a exibição da mulher e de sua identidade na fotografia, na pintura e no desenho. Nas pinturas apresentadas no Centro Cultural Pascoal Carlos Magno, a identidade, a sexualidade e o ato de retratar o corpo feminino se conectam como formas consumíveis e existentes entre valores – como diria Zigmunt Bauman – de transitoriedade líquida, inseridos num mal-estar que permeia a pós-modernidade. (Lícius Bossolan)

Exposição: "Do que e como consumimos" do artista Frederico Arêde
Local: Centro Cultural Pascoal Carlos Magno
Abertura: 05 de Dezembro 2012 às 19h
Visitação: 06 de Dezembro 2012 a 06 de Janeiro de 2013
Encontro com o Artista, domingo dia 06 de Janeiro às 10h



Tags:






Publicado em 01/08/2013

Mostra "Inventário das Desutilidades" entra em cartaz no CCPCM De 06 de abril a 05 de maio
Apresentação da Chamada Pública do CCPCM ENCERRADA
Mostra movimenta o Paschoal De 18 e 23 de agosto de 1998
Niterói de Ontem e de Hoje em mostra fotográfica no CCPCM Leia mais ...
Telas de Milton Eulálio, em exposição no CCPCM Leia mais ...
CCPCM abre exposição coletiva 'Gravadores e Escultores' Leia mais ...
Thereza Brunet expõe geometria e esoterismo no CCPCM Leia mais ...
No Paschoal, as flores que inspiram Tay Bunheirão Leia mais ...
Encontro com Tay no Paschoal desmistifica criação Leia mais ...