A intimidade do mestre da crônica contada por intelectuais e amigos.

Na quinta-feira, 06 de julho de 2017, às 19h, o Solar do Jambeiro vai abrir as portas para a mais nova edição do projeto Cineclube Literário, que vai exibir Rubem Braga: Olho as Nuvens Vagabundas, de André Weller (2013). Logo após a exibição, acontece um bate-papo com o diretor a respeito da colocação da linguagem literária de Rubem Braga cinematograficamente. Classificação indicativa livre, entrada franca.

O filme

Do alto de sua "mítica" cobertura em Ipanema, amigos falam das paixões do maior cronista brasileiro: Rubem Braga. O filme reúne depoimentos de Zuenir Ventura, Ziraldo, Ana Maria Machado e Danuza Leão, dentre outros. O local, muito mais do que o lar desse brilhante cronista e jornalista capixaba, era ponto de encontro das principais personalidades da cultura brasileira, em especial intelectuais do universo da literatura.

Eleito um dos dez melhores documentários da 37ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo na categoria Novos Diretores, em 2013, "Olho as Nuvens Vagabundas" traz depoimentos de frequentadores de sua casa, que narram suas lembranças das tardes e noites passadas ao lado do amigo no lugar favorito do espaço: o pomar plantado em sua cobertura. Cada depoimento conta ainda com a leitura de um trecho de uma crônica, escolhida pelo próprio entrevistado.

Rubem Bragas

Rubem Braga. Clique para ampliar
Capixaba de Cachoeiro do Itapemirim, Rubem Braga tornou-se famoso como cronista de jornais e revistas de grande circulação no país. Foi correspondente de guerra na Itália e Embaixador do Brasil em Marrocos. Nascido em 1913, iniciou seus estudos em sua cidade natal e em Niterói, Rio de Janeiro, concluiu o ginásio no Colégio Salesiano.

Em 1929, escreveu suas primeiras crônicas para o jornal Correio do Sul. Ingressou na Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, em seguida transferiu-se para Belo Horizonte, onde concluiu o curso, em 1932. Nesse mesmo ano, iniciou uma longa carreira de jornalista, que começou com a cobertura da Revolução Constitucionalista de 32, para um jornal de Belo Horizonte.

Em 1936, lançou seu primeiro livro de crônicas, "O Conde e o Passarinho". Foi preso duas vezes no Estado Novo, por suas crônicas contra o regime implantado no país. Em Porto Alegre, foi repórter do Correio do Povo e da Folha da Tarde. Em 1944, Rubem Braga foi para a Itália, durante a II Guerra Mundial, quando cobriu como jornalista as atividades da Força Expedicionária Brasileira.

Braga dedicou-se exclusivamente à crônica, que o tornou popular. Com cronista mostrava seu estilo irônico, lírico e extremamente bem humorado. Sabia também ser ácido e escrevia textos duros defendendo os seus pontos de vista. Fazia crítica social, denunciava injustiças e combatia governos autoritários. Foi investigado durante a ditadura militar por criticar a liberdade de imprensa e a violência praticada em nome da revolução.

Rubem Braga reunia em seus livros as diversas crônicas que escrevia, publicou: “O Morro do Isolamento” (1944), ”Ai de Ti Copacabana” (1960), “A Traição das Elegantes” (1967), “Recado de Primavera” (1984), “Crônicas do Espírito Santo” (1984), “O Verão e as Mulheres” (1986) e “As Boas Coisas da Vida” (1988), entre outros.

Após 62 anos de jornalismo e mais de 15 mil crônicas escritas, Rubem Braga faleceu, no Rio de Janeiro, em 19 de dezembro de 1990.

CineClube Literário

Realizado pelo Solar do Jambeiro em parceria com o selo Niterói Filmes e o Núcleo de Produção Digital de Niterói, o CineClube Literário foi pensado como um novo espaço para se pensar a literatura e o cinema.

Clique para ampliar.



Serviço

CineClube Literário
Exibição de "Rubem Braga: Olho as Nuvens Vagabundas"
Data: Quinta-feira, 06 de julho de 2017
Horário: 19h
Duração: 120min
Entrada Franca
Classificação indicativa: Livre

Local: Solar do Jambeiro
Endereço: Rua Presidente Domiciano, 195 – Boa Viagem
Telefone: (21) 2109-2222 | (21) 2109-2223


Clique para ampliar.



Tags:






Publicado em 02/07/2017