A Sala Maria Jacintha, no Solar do Jambeiro, resgata a memória daquela que cede seu nome à sala em uma exposição permanente, a partir do primeiro dia do ano. Com exposição de mobiliário, objetos e materiais que pertenceram a Maria Jacintha, o Solar homenageia esta que foi uma das principais tradutoras, autoras e teatrólogas brasileira.
Nascida em 1906, Maria Jacintha faleceu aos 88 anos após uma vida inteira dedicada ao teatro. Conhecida pelo apoio que dava a jovens atores, foi fundamental na carreira de Nicette Bruno, Fernanda Montenegro e Mauro Mendonça. Fundou teatros e lecionou dramaturgia no período de renovação do teatro brasileiro, quando já tinha assinado diversos roteiros de sucesso. "Convite à Vida", por exemplo, era uma crítica pacifista ao envolvimento da Força Expedicionária Brasileira na Segunda Guerra Mundial, sendo encenada no ano de sua partida para a Itália. "Um não sei quê que nasce não sei onde", de 1968, era baseada nos sofrimentos do Brasil no governo militar que já durava quatro anos. Chegou a ser presa neste mesmo regime, por ter traduzido a obra russa "As Três Irmãs", de Tchekhov. O Teatro da UFF possui uma placa em homenagem a Maria Jacintha, que é extensamente estudada na Universidade.

SERVIÇO
Exposição da Sala Maria Jacintha
Exposição permanente
De terça a domingo, das 10h às 18h
Entrada franca
Classificação indicativa: Livre
Solar do Jambeiro
Rua Presidente Domiciano, 195, Boa Viagem, Niterói


Tags:






Publicado em 31/12/2019

Arte da Feminilidade em debate na Biblioteca Parque Sábado, 22 de junho
Exposição de estudantes de arte chega ao Solar do Jambeiro Até 30 de junho
Solar do Jambeiro: Histórico Leia mais ...