Niterói vai ter seu Corpo de Baile

    É tão bom que nos custa acreditar que está para se realizar um antigo e acalentado sonho de muitos niteroienses ligados à arte da Dança direta ou indiretamente: Niterói terá, finalmente, o seu Corpo de Baile. A iniciativa é do Instituto Niteroiense de Desenvolvimento Cultural, cuja Presidente, a Prof. Lecyr Lessa, parece haver decidido tomar uma decisão que muitos, antes, não tiveram coragem de tomar, fazendo com que Niterói passe a ser um centro cultural e artístico de força própria, realçando os próprios valores e impedindo que os mesmos emigrem para plagas mais férteis.

    Para levar avante o plano de criação do Ballet, o INDC convocou diversos professores do ramo, dirigentes de escolas sediadas em Niterói. Assim, em reunião coordenada pelo Prof. Ronaldo de Mendonça, estiveram presentes Juliana Yanakieva, Helfany Peçanha, Claudia Araujo, Rosaly Failiacero (representando a SOARTE e o Prof. Dmitri, este, ausente por motivo de doença). Foi discutida a possibilidade de formação do Corpo de Baile que seria alimentado por alunos formados nas diferentes escolas do município; os professores presentes foram convidados a formar um Conselho, que terá a missão de planejar realizar a empresa. (Domari Espósito, O Fluminense, 03 de maio de 1976)

    Ballet de Niterói já está ensaiando

    Conforme noticiamos anteriormente, no dia 5 foi realizada a prova de seleção para a for mação do Corpo de Baile Oficial de Niterói. Os candidatos foram examinados pelo Conselho Niteroiense de Ballet, durante os exercícios conduzidos pela Professora Cecilia Wainstock. -bailarina do Corpo de Baile do Municipal do Rio e agora professora da Escola de Danças da Secretaria de Educação. A prova se estendeu das $& às 15 horas, quando foram anunciados os resultados: dezesseis moças e dois rapazes. Como, entretanto, o naipe masculino è sempre menor e grandemente necessário, decidiu-se que os três restantes seriam admitidos como estagiários. (Domari Espósito, O Fluminense, 03 de maio de 1976)


Estreia, por Alfredo Motta

Será na próxima 5ª feira, dia 2 de setembro de 1976, às 21 horas, no Teatro Municipal João Caetano de Niterói, a estreia do Ballet Oficial da Cidade de Niterói, criado em maio próximo passado pelo Centro de Promoção e Difusão Cultural do Instituto Niteroiense de Desenvolvimento Cultural, da Secretaria Municipal de Educação e Cultura.

Concretização de uma das metas do INDC, relativas ao incremento das atividades e promoções cênicas, o Ballet Oficial da Cidade de Niterói objetivou, desde a sua origem, reunir todos os elementos que vem desenvolvendo trabalhos de ensino e de estímulo à arte do balé junto à nossa comunidade. Assim é que, paralelamente ao surgimento do Ballet, o INDC levou a efeito, igualmente no mês de maio deste ano, a instalação do Conselho Niteroiense de Ballet, integrado pela Professora Lecyr Lessa, Presidente do INDC, e Presidente de Honra do Conselho; pelo Professor Ronaldo José Riodades de Mendonça, Diretor do Centro de Promoção e Difusão Cultural do INDC, e Presidente do Conselho; pelo Professor Felice Pirro, assessor de Artes Cênicas do Centro de Promoção e Difusão Cultural do INDC, e Supervisor do Teatro Leopoldo Fróes; pela Professora Juliana Yanakiewa, 'Maitre' de Baile; e as professoras Rosali Faillace e Claudia Araújo.


Leia também: Teatro Municipal ganha espaço e volta ao esplendor (1976)


Feita a divulgação inicial da criação do Ballet Oficial da Cidade de Niterói, procedeu-se, em 5 de junho, no Teatro Municipal João Caetano aos primeiros testes para a composição do Corpo de Baile, sendo selecionado um total de dezesseis dançarinos, que, já no dia seguinte, davam início aos trabalhos regulares de harmonização de técnicas e de execução das marcações das coreografias que comporiam o programa de estreia, inicialmente prevista para o dia 6 de agosto.

À medida que se sucediam os ensaios, o Ballet Oficial da Cidade de Niterói passou a exigir sempre maiores atenções e cuidados, que nunca deixaram de ser atendidos pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Profissionais da qualidade de um Nilson Pena (cenógrafo) e Adolpho Carvalho (cenógrafo e pintor) vieram integrar a equipe que tornaria, afinal, possível o espetáculo que constituirá o marco primeiro das apresentações do Ballet Oficial da Cidade de Niterói.

A convicção de que novas coreografias poderiam ser acrescentadas ao programa inicialmente proposto, levou o Conselho Niteroiense de Ballet e transferir a data do espetáculo inicial para o dia 2 de setembro, quinta-feira, que passou a ser a data definitiva, ficando como trabalhos integrantes da primeira apresentação as coreografias de "Les Silphydes", de Michel Forkine, e remontagem de Juliana Yanakiewa, com musica de Frédéric Chopin; "Suite Española", de Juliana Yanakiewa, com músicas de Gerônimo Gimenez, Vives Echegaray, Chuecae Manuel Senella; "Minha", com música de Rui Guerra e Francis Hime; "Sonata ao Luar", com música de Beethoven, além de três danças populares russas - todas as coreografias de Juliana Yanakiewa.

Os ensaios, que se têm sucedido diariamente (e que vão estender-se até a véspera do espetáculo inicial), proporcionam-nos a nós todos, niteroienses, a confirmação de condições para levar adiante uma sistemática vida cultural, de que nos dão testemunhos os trabalhos do Departamento de Difusão Cultural da Universidade Federal Fluminense e do Instituto Niteroiense de Desenvolvimento Cultural, que nesse sentido, têm contado com o apoio de todas as entidades e órgãos públicos e particulares, além da presença e da participação de nossa comunidade.

Além do espetáculo do próximo dia 2, às 21 horas, no Municipal, o Ballet Oficial da Cidade de Niterói voltará a se apresentar dias 4, 5 e 6 do mesmo mês, sábado, domingo e 2ª feira. Os ingressos para este primeiro conjunto de exibições serão cobrados ao preço único de Cr$ 30,00.

O Corpo de Baile é constituído por Elizabeth R. de Moraes, Eudes Cipriano da Silva, Lena Cristina de Moraes, Lenita Coutinho da Rocha, Luis Carlos Conceição, Luis Morete Madureira, Margarida P.F. de Mathews, Maria de Fátima F. Ramos, Marize dos Reis Peluso, Manuel C. Morgado, Marly A. Pinto da Gama, Miriam Tereza dos Santos, Mônica B. Proux, Nelyci Madeira Gonçalves, Nelma Silva Schwab, Regina Coeli S. Santos, Renato de Almeida e Silva, Roberto Lima, Sandra Maria Zacharias Rodrigues, Vânia de Barros Penteado e Vera Yanakiewa Naliato.

Coluna de Alfredo Motta, O Fluminense, 30 de agosto de 1976
Pesquisa e Edição: Alexandre Porto





Publicado em 01/09/2021
Gabby Moura se apresenta no "Clássicos do Samba", no Municipal Quarta, 29 de junho