Cronologia do Teatro João Caetano

1827 – Funcionava no local uma pequena casa de espetáculos administrada pela Sociedade Filodramática da Praia Grande, depois denominada Sociedade Filodramática.

1833 – Estreia da Companhia Nacional Dramática, da qual fazia parte João Caetano dos Santos. Alguns historiadores garantem que o evento marca o nascimento do teatro brasileiro – até então todas as companhias que representavam no país eram estrangeiras.

1834 – A casa de espetáculos, que pertencia a José Francisco Furtado de Mendonça, foi vendida neste ano para Joaquim Antônio Corra, um dos fundadores da Sociedade Filodramática de Niterói.

1842 – O ator, diretor e empresário João Caetano adquire o teatro a título de concessão e o transforma em Teatro Santa Tereza, homenageando a futura imperatriz que ainda não havia chegado ao Brasil. Promoveu algumas reformas e , três meses depois, em 25 de dezembro, inaugurou-se com a comédia “As Memórias do Diabo”.

1843 – Em junho é realizada a segunda reforma sob o comando do engenheiro Carlos Carçon Riviére. Deram mais importância à fachada e cresceu nas varandas laterais. O imperador ganha um camarote de honra.

1863 – Morre João Caetano. A viúva não quis prosseguir com o encargo de manter a concessão do teatro.

1875 – Depois da morte de João Caetano, o teatro ficou abandonado. Algumas tentativas de conservação foram pensadas, até que o maestro italiano Felício (Felice) Tati, radicado em Niterói, se interessou pela tarefa.

1878 – Começam as obras, segundo projeto do engenheiro Ernesto Barrador. Os recursos não foram suficientes para a conclusão dos trabalhos. Levantaram empréstimos junto ao Governo e à iniciativa privada.

1884 – Em agosto, o teatro foi reinaugurado com a presença do imperador e da imperatriz. Destaca-se nesta época a execução do pano de boca, com uma passagem da Praia de Icaraí, pintada por Antônio Parreiras.

1889 – Novas obras apoiadas pelo Deputado Luiz Carlos Fróes da Cruz, pai de Leopoldo Fróes. A reforma durou de fevereiro a julho de 1889, com a inauguração solene na noite de 31 de julho.

1885 – Leiloado pelo Governo da Província, o prédio foi adquirido pela Câmara Municipal da cidade.

1900 – A Câmara altera a denominação do teatro para Theatro Municipal João Caetano.

1903 – Outras reformas são realizadas pelo arquiteto Gelice Antônio Miragle auxiliado por Ludovico Berna, o responsávle pelo projeto.

1904 – Reinauguração do teatro com a apresentação de um busto de João Caetano, escultura de Benevenuto Berna.

1923 – Pequenas obras de recuperação

1935 – Reformas para a comemoração da elevação de Niterói à categoria de Município.

1950 – Princípio de incêndio após a solenidade de formatura dos alunos da Faculdade de Filosofia.

1952 – O prefeito Daniel Paz de Almeida promoveu melhoramentos, dentre os quais, a instalação de um palco giratório.

1955/1960/1965/1973/1976 – Reformas parciais

1956 - Criação da Comissão Artística e Cultural

1977 – Reformas profundas em todas as dependências do prédio

1990 – Tombamento pelo INEPAC

1991 – Início da restauração pela Prefeitura Municipal de Niterói

1994 – Prêmio Rodrigo Mello Franco de Andrade –IAB-RJ

O Theatro Municipal João Caetano necessitava de uma completa restauração, para a recuperação de sua riqueza arquitetônica, que por milagre lhe restaram.

Os governos de Jorge Roberto Silveira e João Sampaio confiaram a tarefa desta retauração ao pintor e restaurador Cláudio Valério Teixeira.

O Theatro passou por uma das mais profundas restaurações de que se tem notícia na história do patrimônio cultural brasileiro, tendo sido premiado pelo Instituto Arquitetos do Brasil, em 1994. O passado da casa foi respeitado, conservado, reerguido graças a um trabalho minucioso, científico e detalhista feita pelos restauradores e arquitetos.

Reinaugurando no dia 19 de dezembro de 1995.







Publicado em 10/06/2013

Suely Franco homenageia Virginia Lane em musical Sexta a domingo, 24 a 26 de maio
Coral Amantes da Música comemora aniversário no Municipal Quarta-feira, 29 de maio
Música Antiga da UFF no Encontro Brasileiro de Viola da Gamba Quinta-feira, 30 de maio
Juliana Martins e Sergio Marone apresentam 'Eu Te Amo' no Municipal Sábado e domingo, 01 e 02 de junho
Municipal de Niterói homenageia compositor italiano Giacomo Puccini Quarta-feira, 05 de junho
Heloisa Périssé traz 'A Iluminada' para o Municipal de Niterói Sexta a domingo, 07 a 09 de junho
Shakespeare e Tchaikovsky inspiram balé no Municipal de Niterói Quarta-feira, 12 de junho
Ordinarius comemora 15 anos de estrada no Municipal Sexta-feira, 14 junho
Municipal apresenta música clássica indiana e meditação Sahaja Yoga Sábado, 15 junho