O texto de Jean-Jacques Bernard, traduzido e adaptado por Themístocles Silva, conta a história de André Marlan, que retorna para casa depois de três anos nas trincheiras da guerra. No elenco, Bárbara Santos e Themístocles Silva. Direção de Ricardo Sanfer.

Amor, traição, ódio e ciúme. Esses são os temas da leitura dramatizada da peça Amor em Chamas, que será realizada no próximo dia 30, no Teatro Municipal de Niterói. O espetáculo, que tem como pano de fundo a guerra, mostra como tudo é destruído e devastado após uma grande batalha, inclusive a vida das pessoas. O texto de Jean-Jacques Bernard, traduzido e adaptado por Themístocles Silva, conta a história de um homem, André Marlan, que retorna para sua casa depois de três anos nas trincheiras da guerra. Naquele lar, e entre tantos outros, a paz parece reinar como um sonho para o recomeço na vida de um casal, mas, ironicamente, o pior pesadelo parece estar apenas para começar.

Jean-Jacques Bernard foi um dramaturgo francês reconhecido como um dos autores proeminentes da escola do silêncio, ou, como alguns críticos chamavam, a "arte do não expresso", que consistia no diálogo que expressava atitudes reais dos personagens. Ele deixava por conta dos atores a carga da cena. E, a cada dia que passa, as leituras dramatizadas têm ganhado mais espaço. O diretor desta leitura, Ricardo Sanfer, ressalta que este tipo de teatro está se tornando mais expressivo.

"Com uma leitura dramatizada, os atores podem colocar para fora toda a sua emoção e, assim, dar mais veracidade ao que está sendo lido. É uma prática fascinante", afirma.

Matheus Zanon, diretor de comunicação da Associação de Trabalhadores em Artes Cênicas de Niterói (Atacen), relata que o teatro é uma importante ferramenta de disseminação da cultura. A ideia de montar um ciclo de leitura era levar para a população textos de autores conhecidos, porém pouco explorados.

"O ciclo surgiu com o intuito de apresentar ao público de Niterói e região, textos de autores conhecidos que dificilmente poderiam ser montados por grupos da cidade, por questões financeiras. A cada ano, é realizada uma seleção entre artistas e grupos para a escolha das oito montagens que são realizadas durante o ciclo. Além de possibilitar o conhecimento de textos dramatúrgicos, o ciclo apresenta outra visão do teatro, que é a leitura dramatizada, na qual os atores realizam a peça com o texto e poucos adereços cênicos, para estimular a imaginação da plateia", declara.

O ciclo também abre espaço para novos diretores e experimentação dramatúrgica, podendo inovar nas montagens, o que, dificilmente, é alcançado no teatro comercial.

"A leitura da peça Amor em Chamas faz parte do V Ciclo de Leituras Dramatizadas de Niterói, realizada pela Atacen. Neste ano, as leituras tiveram início no mês de março e sempre acontecem toda última terça-feira do mês", explica Matheus.

Segundo Ricardo Sanfer, a mensagem que é deixada após a leitura é muito mais complexa do que imaginamos.

"A guerra, o ódio e a culpa, não só mata as pessoas, como as destroem de dentro para fora. Esse sentimento que o autor quer mostrar, o vazio nas famílias, a desilusão e a tristeza que as pessoas carregam como uma cicatriz em sua alma, é um retrato das batalhas", resume.

A expectativa da Atacen é oferecer ao público um trabalho de qualidade, com atores da região, em um teatro que é referência para a cidade.

"Em cinco anos de apresentações, temos uma frequência média de 300 pessoas na plateia, o que confirma que a cidade já adotou o Ciclo de Leituras como uma programação fixa. Só temos a agradecer à cidade, ao apoio que nos dão para a realização das leituras e a confiança depositada em cada espetáculo", conclui.



Amor em Chamas, de Jean-Jacques Bernard
V Ciclo de Leitura Dramatizada
Data: Terça-feira, 30 de Julho de 2013
Horário: 19h
Ingresso: Gratuito
Distribuição de 250 senhas 30 minutos antes do início do espetáculo
Duração: 60 minutos Classificação etária: 12 anos

Teatro Municipal de Niterói
Rua XV de Novembro 35, Centro
Tel: (21) 2620-1624





Tags:






Publicado em 02/06/2013

Alice Braga e André Camargo cantam clássicos da MPB no Municipal Quarta-feira, 24 de julho
Beth Zalcman homenageia Helena Blavatsky no Municipal Sexta-feira e sábado, 26 e 27 de julho
Sala Carlos Couto apresenta mostra sobre 'La Belle Époque' De 10 de julho a 30 de agosto
Lenda 'Itapuca' no palco do Teatro Municipal João Caetano Leia mais ...
O Theatro Municipal, que já foi Santa Thereza, completa 140 anos Leia mais ...
Com fotos de Magno Mesquita, Niterói é tema de mostra na Carlos Couto Leia mais ...
Clube Dramático Assis Pacheco estreia no Theatro Municipal Leia mais ...
A Grande Reforma do Theatro Municipal, em 1966 Segunda-feira, 02 de maio de 1966
Theatro Municipal será reinaugurado em janeiro Leia mais ...