Os Lobos, a maior banda de Niterói dos anos 60 e 70, vai se apresentar no Teatro Municipal de Niterói no dia 6 de setembro, sexta-feira, ás 21h. O grupo, formado por Cássio Tucunduva (guitarras, violão, vocais) Antônio Quintella (vocal e violão), Denise Pinaud (voz), Rogério Fernandes (contrabaixo) Danielli Espinoso (teclado) e Francesco Nizzardelli (bateria), voltou a se reunir graças ao lançamento de um CD-coletânea que vai ser lançado pelo selo Discobertas, do pesquisador e produtor Marcelo Fróes, em agosto.

Ensaiando mais de 20 horas por semana, Os Lobos pretendem fazer uma apresentação história no Municipal. No repertório, sucessos como "Santa Teresa", "Avenida Central", "Carro Branco" e "Miragem".

Qualquer pessoa que viveu, mesmo que não intensamente, as noites dos anos 60 e 70 em Niterói, Rio, interior do Estado, sabe quem são os Lobos, uma banda que implodiu alicerces, não se agarrou a versões, partiu pra composições próprias, atravessou a Baia de Guanabara rumo ao Festival Internacional da Canção, televisões, rádios, enfim, foi uma revolução.

A História

Uma das primeiras formações da banda. Clique para ampliar
Fundador da banda o cantor, compositor e multinstrumentista Cássio Tucunduva lembrou, por exemplo, que o sucesso "Fanny" (de Dalto e Claudio Rabello), na voz de Antonio Quintella, ficou em primeiro lugar durante meses em rádios como Tamoio, Globo, Mundial e foi muito tocada pelo lendário Big Boy. "O Fábio Motta, que era tecladista da banda, conhecia todo mundo nas rádios o que abriu nossos caminhos. Nós queríamos que tocasse 'Cabine Classe A' (de Dalto e Claudio Rabello), na voz de Dalto, que era o lado A do compacto, mas 'Fanny' conquistou todo mundo."

Em 1970 o grupo gravou o LP, "Miragem". "A Top Tape comprou o nosso passe e deixamos a Saboya Discos. Esse primeiro LP confirmou que estávamos no caminho certo", lembra o músico. O disco traz clássicos como "Santa Teresa" (de Luiz Carlos Sá), "Avenida Central" (de Paulinho Machado), "Carro Branco", a sensacional "Miragem" que foi eleita a melhor pelo pessoal do underground e mais recentemente fez parte da trilha sonora do filme "1972", de Ana Maria Bahiana e José Emilio Rondeau. Foi o tema do casal protagonista do filme.

Capa do compacto de 1969. Clique para ampliar
Em 1972 Os Lobos foram participar do Festival Internacional da Canção. Cássio conta que havia o Festival do Estado do Rio e o Antonio Quintella (Antonio Claudio) foi convidado pelo Chiquinho Aguiar para cantar "Aleluia, Aleluinha para Sete Cavaleiros". "O Antonio mudou de nome mais uma vez (risos) e se assinava Claudio Ornellas, sugestão de seu produtor Nelson Motta e passou a ser contratado paralelamente pela Phillips/Poligram. Bom, eles ganharam o Festival do Estado do Rio e quem vencia aqui era automaticamente classificado para o Festival Internacional da Canção, que acontecia no Maracanazinho.

"O Carlinhos Garcez era muito ligado a produção do Festival e soube que o Raul Seixas (que era executivo da gravadora CBS) ia se lançar como intérprete com "Let Me Sing". Na verdade, o Raul tinha classificado duas músicas, e o Garcez conseguiu que Os Lobos interpretassem "Eu sou eu, Nicuri é o Diabo". A Som Livre acabou contratando Os Lobos, nós gravamos "Nicuri" e também "Let Me Sing" e ainda gravamos "O Pente", uma música do grupo "O Peso" que não foi classificada no FIC. As gravações estão no disco do Festival.

Capa do LP 'Miragem', de 1971. Clique para ampliar
Cássio acredita que as sucessivas mudanças de integrantes acabaram interferindo diretamente no som dos Lobos: "O astral e o estilo mudaram, e o tipo de músicas também". Em 1977, fizemos um cruzeiro de um mês até Manaus. Chamei o Dalto e o Sergio Nacif (tecladista)." Os Lobos não ficaram dois anos com os mesmos integrantes. Sempre saíam dois ou três até o final, em 1977: "Só voltamos em 1991 para gravar o LP na Niterói Discos (selo da Fundação de Arte de Niterói)."

O show do Lobos no Teatro Municipal de Niterói tem tudo para ser bombástico, antológico, comovente. O resultado dos ensaios exaustivos já aparecem. O som está redondo. Importante: estão ensaiando os arranjos originais, exatamente como foram gravados e tocados naqueles tempos. Tudo para uma noite memorável e sensacional.


Serviço

Os Lobos em "De Volta à Estrada", música
Data: Sexta-feira, 06 de setembro de 2013
Horário: 21h
Duração: 90 minutos.
Ingresso: R$ 30,00 - Comprar
Classificação: Livre

Teatro Municipal de Niterói
Rua XV de Novembro 35, Centro
Tel: (21) 2620-1624

Tags:






Publicado em 02/09/2013

Alice Braga e André Camargo cantam clássicos da MPB no Municipal Quarta-feira, 24 de julho
Beth Zalcman homenageia Helena Blavatsky no Municipal Sexta-feira e sábado, 26 e 27 de julho
Sala Carlos Couto apresenta mostra sobre 'La Belle Époque' De 10 de julho a 30 de agosto
Lenda 'Itapuca' no palco do Teatro Municipal João Caetano Leia mais ...
O Theatro Municipal, que já foi Santa Thereza, completa 140 anos Leia mais ...
Com fotos de Magno Mesquita, Niterói é tema de mostra na Carlos Couto Leia mais ...
Clube Dramático Assis Pacheco estreia no Theatro Municipal Leia mais ...
A Grande Reforma do Theatro Municipal, em 1966 Segunda-feira, 02 de maio de 1966
Theatro Municipal será reinaugurado em janeiro Leia mais ...