Clique para ampliar
O Teatro Municipal de Niterói apresenta na sexta-feira, 13 de setembro de 2013, às 21h, o Chico Batera Trio, formado pelos músicos Marcos Ariel no piano, Romulo Gomes no baixo acústico, além do próprio Chico, na bateria e vibrafone.

O músico Chico Batera, filho da Bossa Nova, importantíssimo movimento da música brasileira, hoje reverenciada pelos mais expressivos músicos do jazz internacional, resolve, justamente, prestar sua homenagem ao estilo que ajudou a criar com sua batida precisa e swingada.

Com o seu Chico Batera Trio, ele apresenta um repertório que vai desde os clássicos como "Chega de Saudades", "Água de Beber", 'Manhã de Carnaval", passando por João Donato, Marcos Valle e Chico Buarque.

Chico Batera

Nascido em 1943, em Madureira, Rio de Janeiro, filho de uma pianista, Chico Batera teve seu primeiro contato com a percussão na Escola de Samba Império Serrano. Aos 17 anos tornou-se músico profissional, tocando nos shows de Carlos Machado e no famoso Beco das Garrafas, berço da Bossa Nova.

Com o sucesso da música brasileira no Carnegie Hall, em Nova York, Chico foi para os Estados Unidos acompanhando Sérgio Mendes em missão cultural apoiada pelo Itamaraty. Ao fim da temporada, permaneceu no país morando numa comunidade hispânica, o que permitia o convívio com cubanos e porto-riquenhos.

A riquíssima troca de informações desse período, que lhe rendeu encontros com Tito Puente e Armando Perazza, despertou sua paixão por ritimos latinos. Embalado pela confluência singular entre jazz, música brasileira e latina, estudou na Berklee School of Music e teve aulas particulares com Joe Porcaro, além de participar de intercâmbios culturais no Los Angeles City College.

Clique para ampliar


Chico Batera se destacou pela riqueza e diversidade rítmicas e tocou com grandes maestros como Michel Legrand, Henry Mancini e Dave Grusin. Acompanhou artistas da importância de Tom Jobim, Frank Sinatra, Ella Fitzgerald e The Doors. Na década de 70 gravou com João Gilberto no México. Foi integrante da banda de Cat Stevens até que este abandonasse sua carreira.

De volta ao Brasil, ministrou cursos de percussão na Pró-arte e no Centro Musical Antônio Adolfo. Nas décadas de 70 e 80 foi o percussionista que mais gravou no país. Dentre os artistas que acompanhou estão Elis Regina, Martinho da Vila, GaL Costa, Simone, Djavan, João Bosco e Fagner. Esteve presente em trabalhos instrumentais com Wagner Tiso, Vitor Biglione, Lee Ritenour e há 28 anos acompanha Chico Buarque, tendo co-produzido o álbum de 1989 que leva o nome do compositor e inclui o grande sucesso "Vai Passar".


Marcos Ariel

Carioca, o pianista, flautista e compositor Marcos Ariel, mistura jazz, samba, choro e valsa em suas músicas. Suas composições desde cedo atravessaram fronteiras e seu primeiro LP, Bambu, foi lançado na França em 1981 e recebeu, em 1983, o troféu Chiquinha Gonzaga. Em seguida, o disco Terra do Índio, lançado nos Estados Unidos, foi eleito pala revista Jazziz como um dos melhores lançamentos do Jazz. No Brasil recebeu o troféu Brahma Extra de Música com o prêmio revelação instrumental. Participou do Free Jazz Festival em São Paulo em 1986 e no ano seguinte no Rio de Janeiro. No final dos anos 80, quando seu disco "Terra de Índio" teve grande êxito nos Estados Unidos, Ariel passou a se dedicar à carreira internacional, se apresentando com freqüência no exterior.

Romulo Gomes

Rômulo começou a tocar violão aos 14 anos. Em Campos, sua cidade natal, participou de vários festivais, trabalhou em estúdios de gravações e compôs jingles. Trabalhou em casas noturnas, clubes e fez vários shows em teatros daquela cidade. Em 1991 transferiu-se para o Rio de Janeiro e estudou com Adriano Giffoni, Paulo Russo e Nico Assumpção. Um dos fundadores da Confraria dos Compositores, atuou como baixista, violonista, cantor, arranjador e produtor de vários discos de artistas de renome como Rosana, Sueli Costa, Ed Motta, Simone, Fátima Guedes, Maria Bethânia, Adriano Giffoni, Johnny Alf, Ivan Lins e Nana Caymmi. Em 1998, lançou o primeiro CD "Jeito livre de amar". Em 1999 e 2000, fez parte da banda que acompanhou Maria Bethânia no show "A força que nunca seca".


Serviço

Chico Batera Trio, música
Data: Sexta-feira, 13 de setembro de 2013
Horário: 21h
Duração: 80 minutos.
Ingresso: R$ 30,00 - Comprar
Classificação: 12 anos

Teatro Municipal de Niterói
Rua XV de Novembro 35, Centro
Tel: (21) 2620-1624

Tags:






Publicado em 02/09/2013

Alice Braga e André Camargo cantam clássicos da MPB no Municipal Quarta-feira, 24 de julho
Beth Zalcman homenageia Helena Blavatsky no Municipal Sexta-feira e sábado, 26 e 27 de julho
Sala Carlos Couto apresenta mostra sobre 'La Belle Époque' De 10 de julho a 30 de agosto
Lenda 'Itapuca' no palco do Teatro Municipal João Caetano Leia mais ...
O Theatro Municipal, que já foi Santa Thereza, completa 140 anos Leia mais ...
Com fotos de Magno Mesquita, Niterói é tema de mostra na Carlos Couto Leia mais ...
Clube Dramático Assis Pacheco estreia no Theatro Municipal Leia mais ...
A Grande Reforma do Theatro Municipal, em 1966 Segunda-feira, 02 de maio de 1966
Theatro Municipal será reinaugurado em janeiro Leia mais ...